Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em 10 de Julho de 2017.

O que é?

Acidentes vasculares cerebrais (AVC) são a segunda causa mais frequente de morte no mundo e a primeira no Brasil. A cada ano, 700.000 pessoas nos EUA sofrem um AVC, e mais de 150.000 pessoas morrem em consequência dele. Mais de 60% das mortes ocorrem em mulheres. AVC são associados também a incapacidade durante longos períodos nos sobreviventes.

Um AVC ocorre quando o suprimento sanguíneo para uma parte do cérebro é bloqueado subitamente, o que altera a função da parte do corpo controlada pela área afetada. Embora lesões celulares parciais possam ser reversíveis, as células cerebrais mortas não são substituídas, o que produz incapacidades permanentes.

Há dois tipos de AVC:

  1. Isquêmico – Causado por bloqueio de uma artéria que irriga o cérebro. Representa 88% dos AVC.
  2. Hemorrágico – Causado por sangramento no cérebro, por ruptura de um vaso sanguíneo interno (aneurisma) ou por um traumatismo craniano. Aneurismas podem ser congênitos ou causados por hipertensão arterial. Os AVC hemorrágicos são mais graves e, com mais frequência, fatais.

Fatores de risco e sintomas

Fatores de risco comuns:

Outros fatores de risco incluem:

Muitos acidentes vasculares cerebrais são precedidos por crises isquêmicas transitórias, que devem ser consideradas um sinal de aviso para a pessoa procurar cuidados médicos imediatos. Os sintomas desaparecem em algumas horas, ao contrário dos sintomas dos AVC, que persistem. Os sintomas mais frequentes de acidente vascular cerebral ou de crise isquêmica transitória são súbitos e incluem:

  • Dormência ou insensibilidade, e fraqueza ou paralisia na face ou em membros, em geral de um lado do corpo.
  • Perda ou dificuldade da fala ou da compreensão do que é dito.
  • Tonteiras, perda do equilíbrio ou dificuldade de andar.
  • Visão embaçada.
  • Cefaleia (dor de cabeça) intensa sem explicação.

Exames

O diagnóstico de acidente vascular cerebral se baseia em exames não laboratoriais. Pesquisadores investigam exames de laboratórios que poderiam ser úteis para diagnóstico e controle do tratamento. A fosfolipase A2 associada a lipoproteína Lp-PLA2 e os neurorreceptores do N-metil-D-aspartato (NMDAR) são candidatos a marcadores de risco, e outros podem vir a ser úteis no diagnóstico.

Podem ser realizados outros exames laboratoriais para pesquisar ou excluir fatores predisponentes, causas e complicações. Incluem:

Tratamento

O tratamento de um acidente vascular cerebral depende da área afetada e do dano causado. Podem ser usados medicamentos trombolíticos para destruir coágulos na fase inicial de acidentes isquêmicos, como em infartos do miocárdio. Quando for necessário, também são usados anticonvulsivantes. É importante que o tratamento seja iniciado o mais cedo possível.

Páginas relacionadas


Neste site
Exames: Lp-PLA2
Estados clínicos/Doenças: infarto do miocárdio, doenças cardíacas

Em outros sites da Internet
American Stroke Association
NINDS Stroke Information Page
American Heart Association Guide to Heart Disease, Stroke and Risks

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido à revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

Fontes usadas na revisão atual

Christenson RH and Dambinova S. Stroke: A Look at Emerging Biochemical Markers. Clinical Laboratory News March 2008. Volume 34, Number 3. Available online at http://www.aacc.org/publications/cln/2008/mar/Pages/series_0308.aspx through http://www.aacc.org. Accessed May 2008.

The Internet Stroke Center: Blood Tests and Procedures Used for Stroke Diagnosis. Available online at http://www.strokecenter.org/pat/diagnosis/blood_tests.htm through http://www.strokecenter.org. Accessed May 2008.

National Institute of Nurological Disorders and Stroke. Stroke Information Page. Available online at http://www.ninds.nih.gov/disorders/stroke/stroke.htm through http://www.ninds.nih.gov. Accessed May 2008.

Fontes usadas em revisões anteriores

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

Klausner HA, Lewandowski C. Infrequent causes of stroke. Emerg Med Clinics of North Amer 20:657, 2002.

Chalel JA, Merino JG, Warach S. Update on stroke. Curr Opin Neurol 17:447, 2004.

Harrison's Principles of Internal Medicine, 16th Ed. Kasper DL, et al., Eds. McGraw-Hill Companies. 2005.