Nome formal
Mioglobina
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
22 de Junho de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para determinar se houve lesão muscular, em especial do músculo cardíaco. Para detectar níveis altos de mioglobina na urina, que podem causar lesão renal após lesão muscular extensa.

Quando fazer este exame?

A cada duas a três horas após dor torácica suspeita de infarto do miocárdio. Após lesão muscular traumática extensa.

Amostra:

Uma amostra de sangue obtida de uma veia do braço ou uma amostra aleatória de urina.

É necessária alguma preparação?

Nenhuma

O que está sendo pesquisado?

A mioglobina é uma pequena proteína transportadora de oxigênio encontrada nos músculos esqueléticos e cardíaco. Sua função é acumular oxigênio nas células musculares para a produção de energia necessária à contração muscular. Quando há lesão de músculos esqueléticos ou do músculo cardíaco, a mioglobina é liberada no sangue, em concentrações que podem ser medidas poucas horas após a lesão.

A mioglobina é filtrada do sangue pelos rins e excretada na urina. Se grandes quantidades forem liberadas no sangue, como após traumatismo grave, o excesso de mioglobina pode causar lesão renal e insuficiência renal.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de sangue colhida inserindo uma agulha em uma veia do braço, para a mioglobina no sangue. Uma amostra aleatória de urina, para mioglobina na urina.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Nenhuma preparação é necessária.
Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    Como um marcador cardíaco, a mioglobina é usada em conjunto com a troponina para diagnosticar ou excluir infarto do miocárdio. Os níveis de mioglobina começam a se elevar 2 a 3 horas após o infarto ou outra lesão muscular, atinge seu máximo em 8 a 12 horas e volta ao normal em um dia. A vantagem da mioglobina sobre outros marcadores cardíacos é que ela aumenta antes da troponina. Entretanto, não é específica de lesão cardíaca porque pode provir do músculo cardíaco ou do músculo esquelético. Em consequência, um resultado negativo de mioglobina exclui infarto do miocárdio, mas um resultado positivo precisa ser confirmado pela troponina.

    Algumas vezes, a troponina é medida na urina para avaliar pacientes com lesões extensas de músculos esqueléticos. A mioglobina é tóxica para os rins. Se houver lesão muscular extensa, os níveis sanguíneos podem se elevar com rapidez, e os rins, que retiram a mioglobina do sangue e a excretam na urina, podem sofrer lesão pelo excesso de mioglobina.

  • Quando o exame é pedido?

    A mioglobina não é usada largamente para o diagnóstico de infarto do miocárdio porque a troponina é mais específica. Quando a dosagem de mioglobina está disponível, pode ser pedida para avaliar pacientes com dor torácica com suspeita de infarto do miocárdio. São colhidas amostras de sangue na admissão do paciente e a cada 2 a 3 horas, durante 12 horas.

    A mioglobina na urina é pedida quando há lesão muscular traumática extensa e suspeita de lesão renal.

  • O que significa o resultado do exame?

    Aumento da mioglobina no sangue significa que houve lesão muito recente do músculo cardíaco ou de músculos esqueléticos. Para determinar o local da lesão são necessários outros exames, como troponina. É muito pouco provável que tenha havido infarto do miocárdio se não houver aumento da troponina em 12 horas após o início de uma dor torácica, a não ser que os sintomas tenham começado há mais de 24 horas. Como a mioglobina é encontrada também em músculos esqueléticos, podem ocorrer níveis aumentados em pacientes que sofrem acidentes, convulsões ou doenças musculares como distrofias musculares.

    Quando o exame no sangue é usado para detectar níveis aumentados em pessoas com dor torácica, um nível baixo ou normal significa que não houve infarto do miocárdio ou que a mioglobina já foi retirada do sangue. Quando os resultados de mioglobina são normais pode ser usado um exame de troponina ou outros marcadores cardíacos.

    Os níveis de mioglobina na urina em geral são muito baixos ou indetectáveis. Níveis urinários altos indicam um risco aumentado de lesão e insuficiência renal. São feitos exames adicionais, como ureia, creatinina e urinálise para monitorar a função renal nesses pacientes.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Níveis aumentados de mioglobina podem ocorrer após injeções intramusculares ou exercícios árduos. Como os rins removem a mioglobina do sangue, pessoas com insuficiência renal podem ter níveis altos. Ingestão excessiva de álcool e alguns medicamentos podem também causar lesão muscular e aumento da mioglobina no sangue.

    Uma tira reagente para hemoglobina na urina pode ser positiva na presença de mioglobina. Se a reação for positiva e houver suspeita de mioglobina na urina, deve ser feito um exame mais específico para medi-la.

  • O que significa infarto do miocárdio?

    Infarto do miocárdio significa que parte do músculo cardíaco morreu. Também é chamado ataque cardíaco. Em geral, começa com uma sensação de pressão ou de dor no tórax, com frequência estendendo-se para o pescoço ou para o braço esquerdo. A pessoa pode ter dificuldade de respirar, sentir-se fraca ou ter suores frios.

    O infarto do miocárdio ocorre porque um dos vasos sanguíneos (artérias coronárias) que leva sangue para o músculo cardíaco é bloqueado, geralmente por um coágulo em um vaso já parcialmente obstruído. O bloqueio parcial, que se desenvolve gradualmente durante muitos anos, é causado por acúmulo de gordura na parede do vaso e endurecimento da parede (aterosclerose).

  • Uma dor torácica significa que estou tendo um infarto do miocárdio?

    Muitos outros problemas podem causar dor torácica, e nem sempre é possível dizer se uma pessoa tem um infarto do miocárdio apenas com base no tipo de dor. Muitos sentem têm dor torácica por contratura dos músculos do tórax, por problemas do esôfago ou do estômago (azia) ou pulmonares.

    Dor torácica pode ser um sinal de aviso de endurecimento das artérias do coração (doença arterial coronariana). Quando ela ocorre em exercícios, trabalho pesado ou estresse, dura alguns minutos e desaparece com repouso, chama-se angina. Se a dor durar mais que alguns minutos, ou se ocorrer em repouso, procure imediatamente cuidados médicos.

  • Uma dor torácica significa que estou tendo um infarto do miocárdio?

    Se você sentir dor torácica prolongada, especialmente quando não passa com repouso, ou se tiver angina e os medicamentos prescritos não aliviarem a dor, procure imediatamente cuidados médicos. Muitas pessoas que têm um infarto do miocárdio morrem sem nem tentar chamar uma ambulância ou ir a um serviço de emergência.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

 

S1
Wu, A. (2006). Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, Fourth Edition. Saunders Elsevier, St. Louis, Missouri.

S2
Tietz Textbook of Clinical Chemistry and Molecular Diagnostics. Burtis CA, Ashwood ER, Bruns DE, eds. St. Louis: Elsevier Saunders; 2006. pp 815-817.

S3
Henry’s Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods. 21st ed. McPherson R, Pincus M, eds. Philadelphia, PA: Saunders Elsevier: 2007. pp 404-405.

S4
Pagana K, Pagana T. Mosby's Manual of Diagnostic and Laboratory Tests. 3rd Edition, St. Louis: Mosby Elsevier; 2006. pp 376-377.

S5
Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].