Também conhecido como
Valproato
Ácido valproico livre [muitas vezes referido pelo nome comercial (veja MedlinePlus Drug Information)]
Nome formal
Ácido valproico
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
25 de Abril de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para determinar a concentração de ácido valproico no sangue e manter o nível terapêutico.

Quando fazer este exame?

Periodicamente, para monitorar o nível do fármaco. Para detectar concentrações baixas ou excessivas (potencialmente tóxicas).

Amostra:

Uma amostra de sangue é retirada de uma veia do braço.

É necessária alguma preparação?

Não é necessário preparo especial para o teste, mas converse com seu médico sobre o horário de coleta da amostra. Uma vez que o horário da dose varia e algumas formulações têm tempos de liberação específicos, as especificidades de coleta podem variar. Muitas vezes, é recomendado que a coleta seja realizada imediatamente antes da próxima dose.

O que está sendo pesquisado?

O ácido valproico é um medicamento (fármaco) usado principalmente para controlar certas crises convulsivas, diminuindo a gravidade e a frequência. Pode ser prescrito em conjunto com outros medicamentos antiepiléticos, como a fenitoína ou fenobarbital. O nível de ácido valproico no sangue deve ser mantido dentro de um estreito intervalo terapêutico. Este teste mede o nível de ácido valproico no sangue.

Distúrbios convulsivos afetam a capacidade do cérebro em transmitir impulsos elétricos e em regular a atividade nervosa. Durante uma crise, o indivíduo pode vivenciar alterações de consciência, visão, olfato e paladar e apresentar espasmos. As convulsões estão associadas a diversas doenças/estados clínicos, mas, em muitos casos, a causa não é conhecida. A frequência das crises convulsivas varia de um único episódio até crises frequentes e recorrentes. Raramente, o indivíduo apresenta convulsões que não cessam sem intervenção médica imediata. A pessoa pode sentir cansaço e confusão em um curto período após a crise. Contrações musculares durante a crise podem causar lesões. Em alguns casos, crises recorrentes acabam por provocar danos cerebrais progressivos, mas, para a maioria das pessoas, haverá pouco ou nenhum dano residual.

Algumas vezes, o ácido valproico é prescrito para transtorno bipolar, uma doença/estado clínico caracterizado por ciclos de depressão e mania que podem durar dias, semanas, meses ou anos. Durante o episódio de depressão, a pessoa afetada se sente triste, sem esperança, sem valor e pode ter pensamentos suicidas. Durante o episódio de mania, o indivíduo ficar eufórico, irritado, sem discernimento e apresenta comportamentos de risco. O ácido valproico é prescrito para ajudar a equilibrar os humores, especialmente os de mania, em pessoas com transtorno bipolar. O medicamento também é útil no tratamento de indivíduos com enxaquecas recorrentes, para prevenir sua ocorrência e no tratamento de síndromes da dor crônica.

O nível de ácido valproico no sangue deve ser mantido dentro de um estreito intervalo terapêutico. Se baixo demais, pode haver recorrência dos sintomas, mas se o nível for alto demais, aumentará o número e a gravidade dos sintomas e de efeitos colaterais. Muitas vezes, é difícil atingir o equilíbrio porque o fármaco (medicamento) é metabolizado pelo fígado e processado a uma taxa que varia de pessoa para pessoa, dependendo da idade e saúde do fígado.

A maioria do ácido valproico é ligada à proteína no sangue e é a porção não ligada ("livre") que é ativa. Se o indivíduo apresentar uma doença/estado clínico que resulte em quantidade de proteína no sangue menor que o normal, então haverá ácido valproico "livre" ativo em excesso.

As doses do medicamento devem ser ajustadas cuidadosamente até que se alcance uma concentração sanguínea estável. A quantidade de fármaco necessária para atingir o estado de equilíbrio varia de pessoa para pessoa e pode mudar ao longo do tempo.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de sangue é obtida pela inserção de uma agulha em uma veia do braço.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Não é necessário preparo especial para o teste, mas converse com seu médico sobre o horário de coleta da amostra. Uma vez que o horário da dose varia e algumas formulações têm tempo de liberação específico, as especificidades de coleta podem varias. Muitas vezes, é recomendado que a coleta seja realizada quando os níveis estão mais baixos (nível mínimo). Isto assegura que a quantidade mínima efetiva de fármaco (medicamento) seja mantida no sangue.

.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    O teste de ácido valproico é utilizado para medir e monitorar a quantidade desse medicamento no sangue e determinar se a sua concentração está dentro do intervalo terapêutico.

    A dose prescrita do fármaco (medicamento) pode ser ajustada para cima ou para baixo, dependendo dos resultados do teste sanguíneo. Então, o teste pode ser pedido em intervalos regulares e, quando necessário, para assegurar que sejam mantidas as concentrações terapêuticas no sangue.

    Um ou mais testes de ácido valproico podem ser solicitados quando o paciente inicia ou cessa a administração de medicamentos adicionais para avaliar seus efeitos no nível de ácido valproico, se houver. Também podem ser pedidos se a pessoa apresentar recorrência dos sintomas, como convulsão, enxaqueca ou alterações bipolares de humor. O médico também irá avaliar os pacientes quanto aos efeitos colaterais e reações adversas durante o ajuste da dose inicial e ao longo do tempo.

    Embora o teste de ácido valproico total seja de rotina, o médico pode solicitar o teste de ácido valproico livre para monitorar os níveis no sangue de fármaco em pacientes com certas doenças/estados clínicos ou estados mórbidos em particular.

    O ácido valproico sanguíneo é altamente ligado a proteínas e apenas uma porção dele permanece "livre" (não ligada a proteínas). A porção "livre" é farmacologicamente ativa.

    Em condições normais, o equilíbrio entre o ácido valproico ligado e não ligado no sangue é relativamente estável. Assim, a dosagem do ácido valproico total é adequada para monitorar o nível terapêutico. No entanto, em certas doenças/estados clínicos e estados mórbidos, em que o equilíbrio pode ser prejudicado, a taxa de ácido valproico livre ou ativo pode aumentar e o indivíduo pode apresentar sintomas de toxicidade, mesmo que seus níveis de ácido valproico total estejam dentro do intervalo terapêutico.

  • Quando o exame é pedido?

    O teste de ácido valproico é realizado quando o indivíduo inicia o tratamento com ácido valproico e também quando há alterações na medicação (outros medicamentos são iniciados, cessados ou trocados). Uma vez que tenha sido alcançada a concentração sanguínea estável no intervalo terapêutico, o nível de ácido valproico pode, então, ser monitorado periodicamente para garantir que permaneça dentro desse intervalo.

    O teste pode ser solicitado quando a doença/estado clínico parece não responder ao ácido valproico para determinar se a concentração está baixa demais, se a terapia não é eficaz e/ou determinar se o indivíduo aderiu ao tratamento (toma o ácido valproico regulamente). Este exame também pode ser feito quando o paciente apresenta nível problemático de efeitos colaterais e/ou desenvolve complicações. Os efeitos colaterais incluem alguns da relação abaixo ou uma combinação deles:

    • Sintomas gastrointestinais, como náusea, vômitos, diarreia
    • Vertigem
    • Perda ou ganho anormal de peso
    • Tremores
    • Visão turva ou dupla, movimentos oculares involuntários
    • Alteração de humor
    • Hematomas e hemorragias
    • Urticária
    • Perda de cabelos
    • Zumbido nos ouvidos
    • Dor nas costas

    Pacientes muito jovens e idosos têm maior probabilidade de apresentarem efeitos colaterais aumentados.

    Os efeitos colaterais que requerem atenção médica são raros, mas graves, e incluem hematomas e hemorragias incomuns, pequenas manchas roxas ou vermelhas na pele, febre, bolhas ou erupções cutâneas, urticária, dificuldade de respirar ou engolir, confusão, fadiga, vômitos, queda da temperatura corporal e fraqueza nas articulações.

    O teste de ácido valproico livre pode ser pedido quando a pessoa tem uma doença/estado clínico subclínico que afeta o equilíbrio de fármaco ligado à proteína, como baixo nível sanguíneo de proteína (hipoalbuminemia) ou falência hepática ou renal. Estas doenças/estados clínicos aumentam o risco de apresentar quantidades excessivas de ácido valproico no sangue. O uso de certos medicamentos também pode levar o médico a solicitar o teste de ácido valproico livre.

  • O que significa o resultado do exame?

    O intervalo terapêutico para o ácido valproico total (ligado e não ligado) foi estabelecido de 50 µg/mL a 125 µg/mL e de 6 µg/mL a 22 µg/mL para ácido valproico livre (apenas não ligado). O intervalo recomendado para epilepsia é 50-100 µg/mL de ácido valproico total, enquanto o intervalo recomendado para o tratamento de mania aguda é 85-125 µg/mL de ácido valproico total.

    Dentro desses intervalos, a maioria das pessoas irá responder ao medicamento, sem efeitos colaterais excessivos. No entanto, a resposta varia para cada indivíduo. Alguns irão apresentar convulsões, alteração de humor ou enxaquecas na extremidade inferior do intervalo terapêutico. Outras terão efeitos colaterais excessivos na extremidade superior. Os pacientes devem trabalhar em estreita colaboração com o médico para encontrar a dose e a concentração que funciona melhor para eles.

    Em geral, a dose é considerada adequada se o resultado do ácido valproico estiver dentro do intervalo terapêutico, o paciente não apresentar convulsões recorrentes, alteração de humor ou enxaquecas e não vivenciar efeitos colaterais significativos.

    Não se devem aumentar, diminuir ou parar a medicação sem consultar o médico, uma vez que isso pode aumentar o risco de apresentar uma crise, pode afetar outras medicações que esteja tomando. A determinação e ajustes da dose devem ser avaliados caso a caso.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Raras complicações associadas ao uso de ácido valproico incluem pancreatite e disfunção hepática. Danos hepáticos graves têm maior possibilidade de ocorrer dentro dos seis primeiros meses de terapia.

    Embora as lesões hepáticas sejam raras, aumentos discretos em enzimas relacionadas ao fígado (AST e ALT) ocorrem em até 20% dos indivíduos que tomam ácido valproico. Geralmente voltam ao normal, mesmo quando se continua a usar o medicamento.

    O uso de ácido valproico durante a gravidez está associado ao aumento de risco para várias malformações congênitas, especialmente defeitos do tubo neural, como a espinha bífida. Mulheres em idade fértil devem conversar com o médico.

    Uma variedade de medicamentos prescritos, de venda livre e suplementos, pode aumentar, diminuir ou interferir com a concentração de ácido valproico no sangue. Converse com seu médico sobre todos os medicamentos, vitaminas, suplementos nutricionais e produtos à base de plantas que esteja tomando.

  • Por quanto tempo tenho que tomar ácido valproico?

    Em geral, o ácido valproico é administrado diariamente (podem ser várias vezes ao dia) por toda a vida. Uma exceção é o caso de indivíduos nos quais as crises são causadas por uma doença/estado clínico temporária. Estes podem precisar da medicação por apenas um curto período de tempo.

  • Como é o ácido valproico é administrado?

    Ele pode ser tomado como comprimido, cápsula de liberação prolongada, xarope ou misturado em alimento macio. Geralmente, é administrado junto com alimentos para minimizar dores de estômago. É importante que se forme um sólido para ser engolido, não mastigado, para evitar irritação da boca e da garganta.

  • Devo realizar o teste de nível de ácido valproico no laboratório clínico?

    Sim, porque é necessário equipamento especial. As amostras de sangue são coletadas de uma veia do braço e testadas no laboratório.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas

 

S1
Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

S2
(© 2007). Valproic Acid [62 paragraphs]. Epilepsy.com [On-line information]. Accessed on: 4/1/07. Available FTP: http://www.epilepsy.com/medications/b_valproicacid_intro.html

S3
Waknine, Y. (2007 February 7). FDA Safety Changes: Kenalog-10 and Kanalog-40, Depacon, Depakene [25 paragraphs] [On-line information]. Accessed on: 3/25/07. Available FTP: http://www.medscape.com/viewarticle/551786

S4
Macritchie, KA (2006 October 1). Valproic acid, valproate and divalproex in the maintenance treatment of bipolar disorder [8 paragraphs]. Medscape from Cochrane Rev Abstract [On-line information]. Accessed on: 3/25/07. Available FTP: http://www.medscape.com/viewarticle/486474

S5
Narayanaswamy, Sudha (2005 August, Updated). Depakote (vivalproex sodium) – Valproic Acid [37 paragraphs]. NAMI [On-line information]. Accessed on: 3/25/07. Available online

S6
(2005 September). Depakene/Depakote/Depakote ER [10 paragraphs]. Epilepsy Foundation [On-line information]. Accessed on: 3/31/07. Available online

S7
(2007 March 1). Valproic Acid (Oral Route, Parenteral Route) [47 paragraphs]. MayoClinic.com [On-line information]. Accessed on: 3/25/07. Available FTP: http://www.mayoclinic.com/health/drug-information/DR602153

S8
(2005 August 10, Review). Seizures Emergencies Overview [17 paragraphs]. eMedicineHealth [On-line information]. Accessed on: 3/31/07. Available FTP: http://www.emedicinehealth.com/seizures_emergencies/article_em.htm

S9
(2006 October). Valproic Acid – Drug Review [29 paragraphs]. Consumer Reports Medical Guide [On-line information]. Accessed on: 3/31/07. Available FTP: http://www.consumerreports.org/mg/drug-reports/valproic-acid.htm

S10
(2004 April, Revision). Valproate, valproic acid, divalproex sodium [12 paragraphs]. American Epilepsy Society [On-line information]. Accessed on: 4/1/07. Available online

S11
(2007 March 19, Updated). Seizures and Epilepsy: Hope Through Research [114 paragraphs] NINDS [On-line information]. Accessed on: 3/31/07. Available FTP: http://www.ninds.nih.gov/disorders/epilepsy/detail_epilepsy.htm

S12
Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry. AACC Press, Washington, DC. Harris, N. et. al. Chapter 39: Therapeutic Drug Monitoring pp 461.

S13
Burtis C, Ashwood E, Bruns D, Eds. (2006). Tietz Textbook of Clinical Chemistry and Molecular Diagnostics. Elsevier Saunders, St. Louis, Missouri.