Nome formal
Herpes simples
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em 02 de Outubro de 2017.
De relance
Por que fazer este exame?

Triagem e diagnóstico de infecções pelo vírus do herpes simples

Quando fazer este exame?

Quando há sinais e sintomas de infecção pelo vírus do herpes simples, como pequenas bolhas em torno da boca ou na área genital, ou meningite viral

Amostra:

Dependendo do exame, um suabe ou um raspado de uma lesão ou uma amostra de sangue obtida de uma veia do braço. Quando há meningite ou encefalite, uma amostra de líquido cefalorraquiano.

É necessária alguma preparação?

Nenhuma preparação é necessária.

O que está sendo pesquisado?

O herpes simples é uma infecção causada por dois tipos de herpesvírus: HSV-1 e HSV-2, resultando em quadros clínicos diferentes. Nos dois casos, a infecção provoca pequenas bolhas na pele (vesículas) contendo vírus, que se rompem, formando lesões abertas, e desaparecem após 2 a 21 dias. Os vírus nunca são eliminados completamente do corpo. Permanecem inativos, com reativações sintomáticas periódicas.

O quadro clínico mais comum é o herpes labial, em geral provocado pelo HSV-1, que afeta a região da boca. No Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, 85% da população tem herpes labial. Destes, 50% apresentam sintomas uma vez por ano, e cerca de 10% apresentam mais de seis crises anuais. Em casos raros, ocorrem complicações, como ceratite, com risco de perda da visão, ou meningoencefalite, com risco de vida ou de lesões neurológicas irreversíveis.

O outro quadro clínico comum afeta a área genital, e é causado em geral pelo HSV-2. Esta forma é transmitida sexualmente e pode ocorrer sem que a pessoa perceba.

A transmissão acontece principalmente quando há contato com as vesículas abertas, mas pode ocorrer sem a presença de lesões aparentes. É possível também haver transmissão da mãe para o feto (materno-fetal), especialmente durante o parto.

A incidência de recidivas tende a diminuir com o tempo, mas elas podem ser provocadas quando há diminuição da imunidade, em pessoas submetidas à quimioterapia ou radioterapia ou infectadas pelo HIV.

A observação das lesões em geral é suficiente para que seja feito o diagnóstico. Em caso de dúvidas, são usados diversos exames:

  • Cultura. Uma amostra de líquido de uma ferida aberta é incubada em um meio adequado, para isolar o vírus. Este exame é sensível e específico, mas demora dois ou mais dias para ficar pronto. A emissão de vírus diminui com o tempo, o que pode produzir resultados falsos negativos. Quando há crescimento viral, é possível determinar o tipo de vírus encontrado (HSV-1 ou HSV-2).
  • A pesquisa de DNA viral (reação em cadeia de polimerase) é o método mais sensível, especialmente útil quando não há mais lesões recentes ou quando existem complicações, como meningoencefalite ou ceratite.
  • Pesquisa de anticorpos. A produção de anticorpos IgM começa alguns dias após a infecção inicial, e eles podem ser detectados no sangue durante algumas semanas. A produção de anticorpos IgG se inicia mais tarde, mas podem ser detectados no sangue durante o resto da vida. Os anticorpos IgG distinguem os vírus HSV-1 e HSV-2.

Como a amostra é obtida para o exame?

O médico colhe um suabe ou um raspado de lesões em torno da boca ou na região genital. No caso de meningite ou encefalite, pode ser colhida uma amostra de líquido cefalorraquiano. Para a pesquisa de anticorpos, é obtida uma amostra de sangue inserindo uma agulha em uma veia do braço.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Nenhuma preparação é necessária

Accordion Title
Common Questions
  • Como o exame é usado?

    Os exames para herpes simples são usados para o diagnóstico da infecção em pessoas com lesões orais ou genitais, encefalite ou em recém-nascidos com suspeita de herpes neonatal, casos raros em que a infecção é transmitida durante o nascimento. Mulheres grávidas com diagnóstico de herpes simples são monitoradas para identificar uma reativação antes do nascimento, o que indicaria a necessidade de um parto por cesariana para evitar a infecção do bebê.

    Os principais métodos de identificação do vírus são a cultura e a pesquisa de DNA viral. A presença de anticorpos IgM ou um aumento da quantidade de anticorpos IgG confirma uma infecção recente. A pesquisa de anticorpos é usada também para triagem de certas populações, como pessoas sexualmente ativas, receptores potenciais de transplantes e pessoas com HIV/AIDS.

  • Quando o exame é pedido?

    Os exames para herpes simples são pedidos para esclarecimento de lesões orais ou genitais, e quando há suspeita de encefalite viral. Podem ser feitos também para levantamentos populacionais e acompanhamento de gravidez.

  • O que significa o resultado do exame?

    Uma cultura positiva ou a presença de DNA viral significa infecção ativa por HSV-1 ou HSV-2. Uma cultura negativa não exclui infecção.

    A presença de anticorpos IgM ou de quantidades crescentes de anticorpos IgG indica infecção recente. A ausência de anticorpos sugere que a pessoa não foi exposta ao vírus.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    As infecções mais graves pelo vírus do herpes simples ocorrem em recém-nascidos e em pessoas imunodeprimidas.

    O herpes simples pode tornar as pessoas mais susceptíveis à infecção pelo HIV, e aumentar a carga viral do HIV em quem já está infectado.

  • Como o herpes simples pode ser evitado?

    O herpes simples oral não pode ser evitado. A exposição ocorre na vida diária, e é comum na infância. O herpes simples genital pode ser prevenido evitando contato sexual com pessoas com infecção ativa e com o uso de preservativos.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas

 

Fontes usadas na revisão atual

Wu, A. (2006). Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, Fourth Edition. Saunders Elsevier, St. Louis, Missouri. Pp 1568-1569.

Centers for Disease Control and Prevention. Genital Herpes - CDC Fact Sheet. Available online at http://www.cdc.gov/std/Herpes/STDFact-Herpes.htm through http://www.cdc.gov. Accessed July 2009.

Hunt, Richard. Virology: Herpes Viruses (Chapter 11). Microbiology and Immunology On-line. University of South Carolina School of Medicine. Available online at http://pathmicro.med.sc.edu/virol/herpes.htm through http://pathmicro.med.sc.edu. Accessed July 2009.

Lifestyle from Yahoo Canada. Herpes virus - 8 types. Available online at http://health.lifestyle.yahoo.ca/channel_section_details.asp?text_id=1364&channel_id=1028&relation_id=22614 through http://health.lifestyle.yahoo.ca. Accessed July 2009.

Deborah Fornstrom, M.T. (ASCP). The Children's Hospital, Aurora, CO.

Kristi Lookner, M.T. (ASCP). The Children's Hospital, Aurora, CO.

Fontes usadas em revisões anteriores

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber's Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby's Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

(2004 May 24, Updated). Genital Herpes. CDC, STD Facts & Information, National Center for HIV, STD and TB Prevention, Division of Sexually Transmitted Diseases [On-line information]. Available online at http://www.cdc.gov/std/Herpes/STDFact-Herpes.htm through http://www.cdc.gov.

Wener, K. (2004 February 3, Updated). Herpes genital (genital Herpes simplex). MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000857.htm.

(2004 May, Updated). Herpes: What It Is and How to Deal With It. AAFP familydoctor.org [On-line information]. Available online at http://familydoctor.org/x5050.xml.

(2003 November 21, Updated). Genital Herpes. NIAID Fact Sheet [On-line information]. Available online at http://www.niaid.nih.gov/factsheets/stdherp.htm through http://www.niaid.nih.gov.

(2004). Herpes Simplex Virus (HSV). ARUP's Guide to Clinical Laboratory Testing [On-line information]. Available online at http://www.arup-lab.com/guides/clt/tests/clt_a281.jsp#1151353 through http://www.arup-lab.com.

(2003 August 07). Mayo Clinic Staff. Genital herpes. MayoClinic.com [On-line information]. Available online at http://www.mayoclinic.com/invoke.cfm?id=DS00179 through http://www.mayoclinic.com.

(2000 May 17). Herpes Simplex Virus DNA UltraRapid 24 hr turn around. Specialty Laboratories [On-line test information]. PDF available for download at http://www.specialtylabs.com/education/download_PDF/tn_1106.pdf through http://www.specialtylabs.com.

(2004). Sevall, J. and Blum, R. Herpes Simplex Viruses. Specialty Laboratories, Use and Interpretation of Laboratory Tests Books [On-line information]. Available online at http://www.specialtylabs.com/books/display.asp?id=367 through http://www.specialtylabs.com.

(2001). Herpes: Get the Facts. ASHA National Herpes Resource Center [On-line information]. Available online at http://www.ashastd.org/hrc/educate.html through http://www.ashastd.org.

(2004 May 24). Herpes More Prevalent Than Thought. MedlinePlus by UPI [On-line News]. Available online (until June 23 2004) at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/news/fullstory_17929.html.