Também conhecido como
AFP
AFP total
AFP-L3%
Nome formal
Alfafetoproteína total; Alfafetoproteína -L3 por cento
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
15 de Janeiro de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para ajudar no diagnóstico e para monitorar o tratamento de alguns tipos de câncer de fígado, de testículos, ou de ovários.

Quando fazer este exame?

Quando o médico suspeita que o paciente seja portador de determinados tipos de câncer de fígado, testículos ou ovários; durante e após o tratamento desses cânceres; algumas vezes em pacientes com hepatite crônica ou cirrose.

Amostra:

Amostra de sangue retirada de veia do braço.

É necessária alguma preparação?

Nenhum.

O que está sendo pesquisado?

Esse teste dosa a alfafetoproteína (AFP) no sangue. A AFP é uma proteína sintetizada, principalmente, pelo fígado fetal e por uma porção do embrião que é semelhante à cavidade vitelina dos ovos de pássaros (tecidos do saco vitelino). A concentração de AFP é elevada quando do nascimento do bebê e diminui rapidamente. Nas crianças saudáveis e nas adultas não grávidas, essa proteína normalmente é detectada em níveis muito baixos.
Nos casos com lesão hepática e com alguns tipos de câncer, os níveis de AFP aumentam significativamente. Ela é produzida sempre que as células hepáticas estão em processo de regeneração. Nas doenças hepáticas crônicas, como hepatite crônica ou cirrose, a AFP pode estar cronicamente elevada. Concentrações muito altas da proteína podem ser produzidas por alguns tumores.

Essa característica fez da dosagem de AFP um teste útil como marcador tumoral. Em muitos pacientes portadores de um tipo de câncer de fígado, denominado carcinoma hepatocelular, essa proteína encontra-se aumentada. Esse aumento também é observado nos portadores de câncer de testículo ou de ovário.

Há diversas variantes de AFP. Tradicionalmente, quando um médico solicita teste de AFP, ele está solicitando a AFP total, que mede o conjunto de todas as variantes dessa proteína. Nos Estados Unidos esse é o teste inicial para AFP.

Uma dessas variantes é denominada L3, em razão de sua capacidade de se ligar, em laboratório, a uma determinada proteína denominada aglutinina Lens culinaris. O teste de AFP-L3% é uma modalidade recente que compara a quantidade total de AFP com a quantidade de AFP-L3. O aumento no porcentual de AFP-L3 sobre a AFP total está associado a aumento do risco de desenvolver carcinoma hepatocelular em futuro próximo e indica prognóstico pior, uma vez que os cânceres relacionados com L3 tendem a ser mais agressivos. O teste de AFP-L3% é solicitado por poucos médicos nos EUA e é mais utilizado em outros países, como o Japão.

Como a amostra é obtida para o exame?

Retira-se uma amostra de sangue de veia do braço.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Não há necessidade de preparo.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    A AFP é usada para ajudar a detectar e diagnosticar câncer de fígado, de testículo ou de ovário. Frequentemente, esse teste é solicitado para monitorar pacientes com doença hepática crônica, como hepatite B crônica ou cirrose porque esses indivíduos têm maior risco de desenvolver câncer de fígado considerando-se todo o período de vida. O médico pode pedir a dosagem de AFP junto com exames de imagem para tentar detectar câncer de fígado nos estágios iniciais mais sensíveis ao tratamento.

    Se o paciente tiver sido diagnosticado com carcinoma hepatocelular ou com outra forma de câncer produtor de AFP, a dosagem dessa proteína pode ser feita periodicamente para ajudar a monitorar a resposta ao tratamento e para identificar possíveis recorrências do câncer.

    Um teste relativamente recente, denominado AFP-L3%, ainda não é amplamente utilizado nos EUA, mas conquistou maior aceitação em outros países, como o Japão. Esse teste é usado para ajudar a avaliar o risco de desenvolver carcinoma hepatocelular, especialmente naqueles pacientes portadores de doença hepática crônica. O aumento no porcentual de L3 sobre a AFP total indica maior risco de desenvolver rapidamente a doença e, também, menor chance de sobrevida.

  • Quando o exame é pedido?

    O médico pode solicitar teste de sangue de AFP quando:

    • Suspeitar de câncer de fígado ou de determinados tipos de câncer de testículo ou de ovário. O médico suspeita de câncer quando, por exemplo, percebe nódulos no exame do abdome ou quando há detecção de possíveis tumores em exame de imagem.
    • Estiver monitorando um paciente com doença hepática crônica quanto ao surgimento de carcinoma hepatocelular ou outro tipo de câncer hepático.
    • Estiver monitorando a efetividade do tratamento de um paciente que tenha sido diagnosticado e tratado para câncer de fígado,de testículo ou ovário.
    • Estiver monitorando a possibilidade de recorrência de câncer.

    O teste de AFP-L3% algumas vezes é realizado para ajudar a avaliar o risco de carcinoma hepatocelular em pacientes com doença hepática crônica. Esse teste recente, entretanto, não é amplamente empregado e sua utilidade clínica ainda não foi definitivamente estabelecida.

  • O que significa o resultado do exame?

    Níveis elevados de AFP podem indicar a presença de câncer, geralmente câncer de fígado, de ovário e tumor de células germinativas testiculares. Entretanto, nem todo câncer de fígado, ovário ou testículo produz quantidades significativas dessa proteína. Algumas vezes observam-se níveis aumentados em outros tipos de câncer, como de estômago, de cólon, de pulmão, de mama e linfoma, embora esse teste raramente seja solicitado para investigar esses quadros. Outras doenças como cirrose e hepatite também podem causar aumento nos níveis de AFP.

    Quando a AFP é usada como ferramenta de monitoramento, níveis decrescentes indicam boa resposta ao tratamento. Se as concentrações não se reduzem significativamente após o tratamento do câncer, geralmente para níveis normais ou próximos do normal, é provável que parte do tecido tumoral ainda esteja presente. Se as dosagens começarem a aumentar, é provável que esteja havendo recorrência do câncer. Se os níveis de AFP não estiverem elevados antes do tratamento, o teste não será útil para monitorar a efetividade do tratamento e a recorrência da doença.

    Em pacientes com doença hepática crônica, quando os níveis de AFP passam de moderadamente elevados a intensamente elevados, o risco de desenvolver câncer hepático aumenta. Quando a AFP total e a AFP-L3% estão significativamente altas, o indivíduo afetado tem risco maior de evoluir com carcinoma hepatocelular em um ou dois anos. Entretanto, as concentrações de AFP e AFP-L3% podem estar elevadas e flutuar nos pacientes com hepatite crônica e cirrose. Nesses casos, o aumento agudo na AFP é mais importante do que o valor numérico do resultado do teste.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Nem todos os indivíduos com AFP e AFP-L3% aumentadas têm ou terão câncer de fígado. As dosagens de AFP e AFP-L3% não são testes diagnósticos; são considerados testes indicadores. Devem ser usados em conjunto com informações obtidas com história clínica, exame físico e exames de imagem buscando pelos tumores em desenvolvimento. Embora esses testes possam fornecer informações úteis, eles não são tão específicos ou sensíveis como seria desejável. A AFP pode aumentar temporariamente sempre que o fígado sofrer lesão e houver regeneração, e aumentos moderados são encontrados em diversas situações. Por esses motivos, o teste de AFP apresenta alguns resultados falso- positivos. Além disso, nem todo câncer produz AFP e, consequentemente, é possível que o indivíduo tenha câncer e continue a ter AFP normal. Por essas razões o teste de AFP não deve ser usado para triagem de câncer na população geral.

    A AFP nem sempre é um a marcador tumoral. Como ela é produzida pelo feto, seus níveis normalmente estão altos em gestantes e rece´m-nascidos. Para mais informações sobre o teste de AFP durante a gravidez, consulte Triagem Tripla ou Quádrupla.

  • Quais são os fatores de risco para carcinoma hepatocelular?

    Esse câncer geralmente ocorre em indivíduos com fibrose crônica no fígado, denominada cirrose.  Na maioria dos casos ela ocorre em razão de infecção crônica causada por um de dois vírus: da hepatite B e da hepatite C. O alcoolismo também aumenta o risco de cirrose. Algumas doenças hereditárias, especialmente a hemocromatose (na qual o organismo absorve ferro em demasia), podem causar cirrose e, mais tarde, carcinoma hepatocelular.

  • Se minha AFP estiver normal/anormal, preciso fazer outros testes?

    Se você for portador de infecção ou lesão hepática crônica, o aumento da AFP seria causado pela própria doença. Se sua AFP aumentar subitamente, ou se estiver muito elevada, o médico deve solicitar algum exame de imagem para avaliar seu fígado, geralmente ultrassonografia, TC ou RM. Esses exames em geral são capazes de identificar câncer hepático. O médico também poderá solicitar um teste de sangue para des-gama carboxyiprotrombina (DCP) a fim de auxiliar a detectar câncer hepático.

View Sources

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

Sources Used in Current Review

Pagana, K. D. & Pagana, T. J. (© 2007). Mosby's Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp 47-49.

Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (© 2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry: AACC Press, Washington, DC. Pp 271-272.

(2008 March). Germ Cell Tumors – Childhood. Cancer.Net [On-line information] Available online at http://www.cancer.net/patient/Cancer+Types/Germ+Cell+Tumor+-+Childhood through http://www.cancer.net. Accessed May 2009.

Vorvick, L. (2008 October 28). Alpha fetoprotein. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information] Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003573.htm. Accessed May 2009.

(Revised 2009 May 06). Overview: Liver Cancer, How Is Liver Cancer Found? American Cancer Society [On-line information]. Available online at http://www.cancer.org/docroot/cri/content/cri_2_2_3x_how_is_liver_cancer_found_25.asp through http://www.cancer.org. Accessed May 2009.

(Modified 2009 May 22). Adult Primary Liver Cancer Treatment (PDQ®) National Cancer Institute [On-line information]. Available online at http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/treatment/adult-primary-liver/HealthProfessional/page1 through http://www.cancer.gov. Accessed May 2009.

(Revised 2009 May 14). Detailed Guide: Testicular Cancer, How Is Testicular Cancer Diagnosed? American Cancer Society [On-line information]. Available online at http://www.cancer.org/docroot/cri/content/cri_2_4_3x_how_is_testicular_cancer_diagnosed_41.asp?sitearea=ped through http://www.cancer.org. Accessed May 2009.

(Revised 2008 December 08). Tumor Markers, What are tumor markers? American Cancer Society [On-line information]. Available online at http://www.cancer.org/docroot/PED/content/PED_2_3X_Tumor_Markers.asp?sitearea=PED through http://www.cancer.org. Accessed May 2009.

Walzer, N. and Kulik, L. (2008 June 10). Hepatocellular Carcinoma: Latest Developments. Medscape from Current Opinion in Gastroenterology [On-line information]. Available online at http://www.medscape.com/viewarticle/573576 through http://www.medscape.com. Accessed May 2009.

(2007 November). AFP-L3% in Serum (Includes Total Alpha Fetoprotein). ARUP Technical Bulletin [On-line information]. Available online at http://www.aruplab.com/Testing-Information/resources/TechnicalBulletins/AFP-L3%20in%20Serum%20Includes%20Total%20Alpha%20Fetoprotein.pdf#xml=http://websearch-vrt.aruplab.net/isysquery/7223d4a4-4ce6-4449-a89a-f18f03b37138/7/hilite/ through http://www.aruplab.com. Accessed May 2009.

Sources Used in Previous Reviews

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber's Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby's Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

Sherman, M. (2005 June 23). Hepatocellular Carcinoma: Epidemiology, Risk Factors, and Screening. Medscape, from Semin Liver Dis. 2005;25(2):143-154 [On-line information]. Available online at http://www.medscape.com/viewarticle/506830 through http://www.medscape.com.

(2005 January 05). LBA AFP-L3. Wako [On-line package insert]. PDF available for download at http://liver.wakousa.com/pdfs/packageinsert.pdf through http://liver.wakousa.com.

Hepatocellular Carcinoma: Alpha Fetoprotein. Specialty Laboratories [On-line information]. Available online at http://www.specialtylabs.com/books/display.asp?id=529 through http://www.specialtylabs.com.

Grund, S. (2004 August 10, Updated). Hepatocellular Carcinoma. MedlinePlus, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000280.htm.

(2005 April 14, Modified). Hepatocellular Cancer (PDQ®): Screening Health Professional Version. National Cancer Institute [On-line information]. Available online at http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/screening/hepatocellular/healthprofessional/allpages through http://www.cancer.gov.

(© 2003). Alpha-Fetoprotein (AFP) with AFP L3%, Serum. Laboratory Corporation of America [On-line test information]. Available online at http://www.labcorp.com/datasets/labcorp/html/chapter/mono/nf10005300.htm through http://www.labcorp.com.

Wako Diagnostics Receives the FDA Approval for a New Biomarker for Liver Cancer. Press Release, Richmond VA USA -- Medical Industry E-mail News Service(TM) -- June 21, 2005.