Também conhecido como
LDL-C direto
LDL direto
LDLD
LDL D
Nome formal
Lipoproteína de baixa densidade direto
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
15 de Janeiro de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para ajudar a determinar o risco de desenvolvimento da doença cardiovascular e para monitorar a redução nos níveis dos lipídeos obtida com alterações no estilo de vida e com medicamentos; para determinar com precisão a dosagem de lipoproteína de baixa densidade (LDL-C) em pacientes fora de jejum.

Quando fazer este exame?

Na rotina de acompanhamento do perfil lipídico quando os triglicérides estiverem significativamente elevados; em intervalos regulares, para monitorar os esforços para reduzir os níveis de LDL-C

Amostra:

Amostra de sangue retirada da veia

É necessária alguma preparação?

Nenhuma

O que está sendo pesquisado?

O teste direto do colesterol lipoproteína de baixa densidade (LDL-C direto) mede a quantidade no sangue de colesterol LDL, também chamado colesterol “ruim”. Geralmente, a quantidade de colesterol LDL (LDL-C) é calculada utilizando-se os resultados obtidos com o perfil lipídico padrão. Na maioria dos casos, esse teste permite uma boa estimativa do LDL-C, mas a precisão é menor quando os níveis de triglicerídeos estão altos. A dosagem direta do LDL-C é menos afetada pelos triglicerídeos e pode ser realizada em pacientes que não estejam em jejum ou quando os níveis de triglicerídeos estejam muito elevados (acima de 400 mg/dL).

Como a amostra é obtida para o exame?

A amostra de sangue é obtida em coleta feita em veia do braço.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Não há necessidade de preparo.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    A dosagem LDL- colesterol ou lipoproteína de baixa densidade (LDL-C) é útil na avaliação do risco para doença cardiovascular e no acompanhamento do tratamento para redução do colesterol. No perfil lipídico padrão são medidos o colesterol total, HDL-colesterol ou lipoproteína de alta densidade (HDL-C) e os triglicérides. A quantidade de colesterol presente como lipoproteína de baixa densidade (LDL-C) é obtida por meio de cálculo e também relatado nos resultados. Quando os níveis de triglicérides encontram-se elevados (maior ou igual a 400 mg/dL), a fórmula não mais se aplica. Nessa situação, o método alternativo para se determinar o LDL-C é a dosagem direta.

    A elevação dos triglicérides pode ser causada por um distúrbio metabólico. É importante que todo indivíduo pode apresentar dosagem elevada de triglicerídeos após se alimentar. Em ambas as situações, o teste direto de LDL-C é uma alternativa para se determinar a quantidade de LDL-C, quando não for possível aplicar a fórmula.

  • Quando o exame é pedido?

    O teste direto de LDL-C pode ser solicitado quando não for possível obter o valor calculado do LDL-C  em razão do nível de triglicérides estar significativamente elevado. Alguns laboratórios realizam automaticamente a dosagem quando o nível de triglicérides encontra-se alto.

  • O que significa o resultado do exame?

    Níveis elevados de LDL-C, medidos por método direto, indicam maior risco para doença cardiovascular. Níveis adequados indicam uma resposta adequada às mudanças no estilo de vida e/ou à terapia com medicamentos, e estão relacionados à redução do risco de doença cardiovascular.

    Níveis baixos de LDL-C, em geral, não são preocupantes e não necessitam serem monitorados. Esta situação pode ser encontrada em pacientes com deficiência de lipoproteína de natureza genética e em pessoas com hipertireoidismo, infecção e inflamação.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    O LDL-C direto, assim como o calculado, deve ser medido em pacientes que estejam saudáveis e “metabolicamente estáveis”. Situações de doença, cirurgia, traumatismo, ataque cardíaco, perda ou ganho súbito de peso e gravidez podem afetar temporariamente esses níveis.

  • Por que não se substitui o teste calculado de LDL-C pelo teste direto?

    O LDL-C calculado é tão confiável quanto o resultado obtido por teste direto quando os níveis de triglicérides estão normais. São realizado sem custo adicional dentro do perfil lipídico.

  • Todas as moléculas de LDL são iguais?

    Não. A LDL-C e outras moléculas de lipoproteínas variam em tamanho e densidade. Acredita-se que os pacientes com maior porcentual de moléculas de LDL-C pequenas e densas tenham maior risco de aterosclerose em comparação com aqueles com maior percentual de moléculas maiores. É possível separar as moléculas de lipoproteína de tamanhos distintos pelas diferenças que apresentam na densidade (por meio de um método denominado ultracentrifugação) ou pelo tamanho e carga elétrica da molécula (método de eletroforese). Há testes disponíveis que utilizam essas técnicas de separação. Contudo, as evidências clínicas não definiram a utilidade clínica desses métodos.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

 

S1
Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

S2
Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

S3
Paxton, A. (2002 July). One Year Later, Cholesterol Guidelines Sinking In [52 paragraphs]. CAP Today [On-line journal]. Available FTP: http://www.cap.org/captoday/archive/2002/cholesterol_guidelines_feature.html

S4
Paxton, A. (2002 July). One Option For A More Complete Profile [11 paragraphs]. CAP Today [On-line journal]. Available FTP: http://www.cap.org/captoday/archive/2002/cholesterol_guidelines_sidebar.html

S5
(2001 May). ATP III At-A-Glance: Quick Desk Reference [16 paragraphs]. U.S. Department Of Health And Human Services, Public Health Service, National Institutes of Health, National Heart, Lung, and Blood Institute [On-line information, NIH Publication No. 01-3305]. Available FTP: http://www.nhlbi.nih.gov/guidelines/cholesterol/atglance.htm

S6
(2002) Direct Measurement of LDL Cholesterol [1 paragraph]. The University of Iowa Department of Pathology, Laboratory Services Handbook, [On-line test information]. Available online

S7
Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (© 2007). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp. 602 – 605.

S8
Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry, AACC Press, Washington, DC. Winter, W. and Harris, N. Chapter 21 Lipoprotein Disorders. Pp. 251–259.

S9
Wu, A. (2006). Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, Fourth Edition. Saunders Elsevier, St. Louis, Missouri. Pp. 684.