Também conhecido como
Tireotropina
Nome formal
Hormônio Estimulador da Tireoide
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
15 de Janeiro de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para triagem e para auxiliar no diagnóstico de distúrbios da tireoide; para monitorar o tratamento do hipotireoidismo e do  hipertireoidismo.

Quando fazer este exame?

Para triagem - Não há consenso na comunidade médica em relação à época e início da  triagem na idade adulta ou mesmo se deve ser feita uma triagem. Entretanto, é amplamente recomendada a triagem de recém-nascidos (‘Teste do Pezinho”).  
Para monitorar o tratamento - Como solicitado pelo médico.
Outras situações - Quando uma pessoa apresenta sintomas de hipertireoidismo ou de hipotireoidismo ou tireoide aumentada.

Amostra:

Uma amostra de sangue retirada de uma veia do braço ou através da punção do calcanhar ou da veia do bebê.

É necessária alguma preparação?

Nenhuma preparação é necessária. Entretanto, alguns medicamentos podem interferir com o teste TSH. Portanto, informe ao médico e ao laboratório sobre qualquer remédio queesteja tomando.

O que está sendo pesquisado?

Esse teste mede a quantidade de Hormônio Estimulador da Tireoide (TSH) no sangue. O TSH é produzido pela glândula hipófise, um pequeno órgão localizado na parte inferior no cérebro e atrás das cavidades nasais. Ela faz parte do sistema de feedback (realimentação) do corpo para manter estável a quantidade de hormônios tireoidianos tiroxina (T4) e triiodotironina (T3) no sangue. Os hormônios tireoidianos ajudam a controlar a taxa de energia utilizada pelo corpo. Quando as concentrações diminuem no sangue, o hipotálamo libera o Hormônio Liberador de Tireotropina (TRH), que estimula  estimula a liberação de TSH pela glândula hipófise. O TSH, por sua vez, estimula a produção e liberação de T4 e T3 pela glândula tireoide, que possui formato de borboleta e está localizada no pescoço, à frente da traqueia. Quando os três órgãos estão funcionando normalmente, a produção da tireoide aumenta e diminui para manter constantes os níveis dos hormônios tireoidianos.

Se a hipófise não funciona bem, isso pode resultar em quantidades aumentadas ou diminuídas de TSH. Quando as concentrações de TSH estão aumentadas, a tireoide irá produzir e liberar quantidades inadequadas de T4 e T3, e a pessoa apresentará sintomas associados ao hipertireoidismo, como aumento da frequência cardíaca, perda de peso, nervosismo, tremor nas mãos, olhos irritados e dificuldades para dormir. Se diminuir a produção de hormônios tireoidianos (hipotireoidismo), a pessoa poderá apresentar sintomas como ganho de peso, pele seca, constipação, intolerância ao frio e fadiga. Além da disfunção da hipófise, o hipertireoidismo ou o hipotireoidismo podem ocorrer se houver um problema no hipotálamo (TRH insuficiente ou em excesso). Os níveis de hormônio tireoidiano também podem ser alterados por várias doenças da tireoide, independentemente da quantidade de TSH presente no sangue.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de sangue é obtida inserindo-se uma agulha em uma veia do braço ou através da punção do calcanhar ou de uma veia do bebê.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Não é necessário nenhum preparo. Alguns medicamentos podem interferir com o teste TSH. Portanto, informe o médico e o laboratório sobre quaisquer remédios que esteja tomando.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    O TSH é, com frequência, o teste de escolha para avaliar a função tireoidiana ou sintomas de hipertireoidismo ou hipotireoidismo. Geralmente ele é solicitado em conjunto ou precedendo um teste T4. Outros exames da tireoide podem ser pedidos, incluindo um teste T3 e anticorpos antitireoidianos (se há suspeita de doença tireoidiana autoimune).

    O teste TSH é utilizado para:

    • diagnosticar um distúrbio da tireoide em uma pessoa com sintomas,
    • triagem de recém-nascidos para uma disfunção da tireoide,
    • monitorar a terapia de reposição de hormônio tireoidiano em pessoas com hipotireoidismo,
    • diagnosticar e monitorar problemas de infertilidade feminina,
    • ajudar a avaliar a função da glândula hipófise (ocasionalmente), e
    • triagem de adultos para distúrbios tireoidianos, embora as opiniões dos especialistas variem sobre qual a população que  pode se beneficiar com a triagem e em que idade começar.
  • Quando o exame é pedido?

    O médico pode solicitar um teste de TSH quando uma pessoa apresenta sintomas de hipertireoidismo ou hipotireoidismo ou quando apresenta uma glândula tireoide aumentada.

    Sinais e sintomas de hipertireoidismo podem incluir:

    • Aumento da frequência cardíaca
    • Ansiedade
    • Perda de peso
    • Dificuldades para dormir
    • Tremores nas mãos
    • Fraqueza
    • Diarreia (algumas vezes)
    • Sensibilidade à luz, distúrbios visuais
    • Os olhos podem ser afetados: inchaço ao redor, secura, irritação e, em alguns casos, protrusão (tamanho anormal).

    Sintomas de hipotireoidismo podem incluir:

    • Ganho de peso
    • Pele seca
    • Constipação
    • Intolerância ao frio
    • Engrossamento da pele
    • Perda de cabelo
    • Fadiga
    • Irregularidade menstrual em mulheres

    O TSH pode ser solicitado em intervalos regulares para monitorar a eficácia do tratamento em uma pessoa que está sendo tratada para um distúrbio da tireoide já diagnosticado.

    A triagem do TSH é rotineiramente realizada no Brasil em recém-nascidos, como parte do programa de triagem neonatal de cada estado (“Teste do Pezinho”).

    Em 2004, a Força Tarefa dos Serviços Preventivos dos EUA (U.S. Preventive Services Task Force) não encontrou evidências suficientes para a recomendação a favor ou contra a triagem de rotina para doença tireoidiana em adultos assintomáticos.  A Associação Americana de Tireoide (The American Thyroid Association) e a Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos (American Association of Clinical Endocrinologists) liberaram diretrizes para práticas clínicas em 2012 que recomendaram que a triagem para o hipotireoidismo deveria ser considerada em pacientes com idade acima de 60 anos.

  • O que significa o resultado do exame?

    Um resultado de TSH elevado com frequência significa uma glândula tireoide hipoativa que não está respondendo adequadamente ao estímulo do TSH devido a algum tipo de disfunção tireoidiana, aguda ou crônica. Raramente, um resultado de TSH elevado pode indicar um problema com a glândula hipófise, como um tumor produtor de níveis desregulados de TSH. Um valor de TSH elevado também pode ocorrer em uma pessoa com distúrbio da tireoide já diagnosticado ou em quem teve sua glândula tireoide removida e está recebendo quantidades muito pequenas de medicamento de hormônio tireoidiano.

    Um resultado de TSH diminuído pode indicar glândula tireoide hiperativa (hipertireoidismo) ou quantidades excessivas de medicamento de hormônio tireoidiano em quem está sendo tratado para glândula tireoide hipoativa (ou removida). Raramente, um resultado de TSH baixo pode indicar dano à glândula hipófise que a impede de produzir quantidades adequadas de TSH.

    Se aumentado ou diminuído, um resultado de TSH anormal indica excesso ou deficiência na quantidade de hormônio tireoidiano disponível para o corpo, mas não informa sua causa. Um resultado de teste de TSH é geralmente acompanhado ou seguido de exames adicionais para investigar a causa do aumento ou diminuição.

    A tabela abaixo resume os resultados dos testes e seus possíveis significados.

    TSH T4 T3 InterpretaÇÃO
    Aumentado Normal Normal Hipotireoidismo leve (subclínico)
    Aumentado Diminuído Diminuído ou normal Hipotireoidismo
    Diminuído Normal Normal Hipertireoidismo leve (subclínico)
    Diminuído Aumentado ou normal Aumentado ou normal Hipertireoidismo
    Diminuído Diminuído ou normal Diminuído ou normal Doença não tireoidiana; hipotireoidismo pituitário raro (secundário)
  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Muitos medicamentos, incluindo a aspirina e a terapia de reposição com hormônio tireoidiano, podem afetar os resultados dos testes de função da glândula tireoide. Seu uso deve ser discutido com o médico e informado ao laboratório antes do exame.

    Quando o médico ajusta a dosagem da reposição do hormônio tireoidiano de um paciente,  é importante esperar pelo menos um a dois meses antes de dosar novamente o TSH. Assim, a nova dose irá manifestar o seu efeito integralmente.

    O estresse extremo e uma doença aguda também podem afetar os resultados de um teste de TSH. Os resultados também podem ser baixos no primeiro trimestre da gravidez.

  • Os médicos dosam o TSH durante a gravidez?

    Os médicos geralmente não testam mulheres assintomáticas. Aquelas com sintomas ou com um distúrbio da tireoide conhecido podem ser testadas em intervalos recomendados pelo médico para detectar e avaliar hipertireoidismo ou hipotireoidismo, ambos durante ou após a gravidez. Para mais informações, consulte o site da Fundação Americana de Tireoide - Thyroid Foundation of America: Thyroid Problems During and After Pregnancy - Are You At Risk?

  • Há alguma coisa que eu possa fazer para aumentar ou diminuir os meus níveis de TSH?

    Em geral, o TSH não responde a mudanças de estilo de vida. O importante é que as glândulas hipófise e tireoide estejam trabalhando em conjunto para produzir quantidades adequadas do hormônio tireoidiano.

  • O que é um TSH de terceira geração e um TSH de alta sensibilidade?

    Ambos os termos estão relacionados à evolução histórica dos testes de TSH. Ao longo do tempo, foram desenvolvidos e adotados testes de TSH cada vez mais  sensíveis e específicos. A maioria dos laboratórios atualmente utiliza os modernos testes de TSH de terceira geração/alta sensibilidade como o seu “teste TSH” na rotina. A mais nova versão é cerca de 100 vezes mais sensível que o teste de primeira geração de TSH.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

 

S1
Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

S2
Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

S3
U.S. Preventive Services Task Force (2004 May 15). Screening for Thyroid Disease: Recommendation Statement [22 paragraphs]. American Family Physician [On-line journal]. Available FTP: http://www.aafp.org/afp/20040515/us.html

S4
MedlinePlus Medical Encyclopedia. TSH. (Updated 10/24/07). [On-line information]. Available FTP: http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003684.htm

S5
(© 2005). Thyroid Stimulating Hormone (TSH) [12 paragraphs]. ARUP's Guide to Clinical Laboratory Testing [On-line information]. Available FTP: http://www.aruplab.com/guides/clt/tests/clt_239b.jsp#1149154

S6
Wu, A. (2006). Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, Fourth Edition. Saunders Elsevier, St. Louis, Missouri. Pp. 1038-1041.

S7
Ladenson,PW et al, for the American Thyroid Association. American Thyroid Association guidelines for detection of thyroid dysfunction. 12 Jun 2000. Arch Intern Med 60:1573-1575. Available as PDF.

S8
American Association of Clinical Endocrinologists. Women’s endocrine health. Available FTP: http://www.powerofprevention.com/w_endocrine.php