Também conhecido como
CMV
Nome formal
Anticorpos anticitomegalovírus, IgG e IgM; Pesquisa de citomegalovírus por PCR
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em 03 de Dezembro de 2017.
De relance
Por que fazer este exame?

Quando há suspeita de uma infecção atual ou passada por citomegalovírus (CMV). É importante determinar infecção anterior em receptores de transplantes, porque o vírus pode permanecer inativo durante longos períodos e ser reativado quando há diminuição da imunidade.

Quando fazer este exame?

Quando um adulto jovem, uma mulher grávida ou uma pessoa imunodeprimida tem sintomas sugestivos de infecção por CMV. Em recém-nascidos com anormalidades congênitas múltiplas, icterícia ou anemia não explicadas, convulsões ou problemas de desenvolvimento que podem ser devidos ao CMV. Antes de transplantes de órgãos.

Amostra:

Uma amostra de sangue obtida de uma veia do braço, para pesquisa de anticorpos. Para a detecção do vírus em si, sangue, urina, escarro, líquido amniótico, líquido cefalorraquiano, líquido duodenal ou tecidos do corpo.

É necessária alguma preparação?

Nenhuma.

O que está sendo pesquisado?

Citomegalovírus (CMV) é um vírus frequente na maioria das pessoas, mas raramente causa sintomas. No Brasil, há estudos que mostram uma incidência entre 81% e90% em doadores de sangue de diversas capitais. A infecção ocorre por contato com secreções de pessoas contaminadas. A transmissão é mais frequente no período perinatal e na adolescência, mas pode acontecer em qualquer momento da vida.

O vírus é encontrado em muitos líquidos corporais de pessoas infectadas, incluindo saliva, urina, sangue, leite, sêmen, secreção vaginal, fezes e líquido cefalorraquiano. Após a infecção inicial, permanece inativo ou latente pelo resto da vida, como outros membros da família dos herpesvírus, sem causar sintomas, mas pode se tornar ativo quando há inibição do sistema imunológico.

O CMV pode causar problemas de saúde em três situações:

  • Em pessoas jovens, a infecção inicial pode provocar sintomas semelhantes aos de gripe, com fadiga, febre, calafrios, dores musculares e cefaleia (dor de cabeça), que se resolvem em algumas semanas.
  • Em bebês infectados durante a gravidez ou no período perinatal, a infecção inicial pode causar problemas sérios de saúde e de desenvolvimento, incluindo na audição e na visão, pneumonia, convulsões e retardo do desenvolvimento mental. Alguns recém-nascidos podem apresentar icterícia, anemia, aumento do baço ou do fígado e microcefalia (cabeça pequena).
  • Em pessoas imunodeprimidas, o CMV pode provocar alterações graves e, às vezes, fatais. Isso inclui indivíduos com HIV/AIDS, receptores de transplantes e pessoas que recebem quimioterapia para tratamento de câncer. A infecção primária em imunodeprimidos causa sintomas graves e persistentes. A reativação de uma infecção latente pode resultar em inflamação da retina (retinite), diarreia, aumento do fígado e do baço, pneumonia e encefalite. A ativação do CMV deprime ainda mais o sistema imunológico e facilita o surgimento de infecções secundárias, como infecções por fungos.

Os exames envolvem a detecção de anticorpos contra o vírus ou do vírus em si. Este pode ser identificado por cultura ou por pesquisa de seu material genético (DNA).

Como a amostra é obtida para o exame?

A amostra depende do exame utilizado. A pesquisa de anticorpos é feita em uma amostra de sangue obtida inserindo uma agulha em uma veia do braço. A detecção do vírus pode ser feita em diversos materiais, incluindo sangue, urina ou escarro. Algumas amostras precisam de procedimentos especiais de colheita, como líquido amniótico, líquido duodenal, líquido cefalorraquiano ou biópsia de tecidos.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Nenhuma preparação é necessária.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    Os exames para citomegalovírus (CMV) são usados para diagnosticar uma infecção ativa ou para determinar se uma pessoa teve uma infecção anterior.

    Pesquisa de anticorpos
    Anticorpos no sangue são pesquisados em busca de uma infecção recente ou antiga. São produzidos dois tipos de anticorpos contra o CMV: IgM e IgG.

    • Anticorpos IgM são os primeiros a serem produzidos em resposta a uma infecção. São detectados em uma a duas semanas após a exposição inicial ao CMV. A produção aumenta durante algumas semanas e, depois, diminui. Após alguns meses, não são mais detectados, mas podem voltar a ser produzidos quando a infecção latente é reativada.
    • Anticorpos IgG são detectados algumas semanas após a infecção inicial, e permanecem detectáveis durante o resto da vida da pessoa.

    A pesquisa de anticorpos é usada para determinar a imunidade ao CMV em receptores de transplantes e em pessoas com HIV/AIDS, que podem apresentar complicações relacionadas com a reativação do vírus.

    Outro uso é para detectar infecção primária em jovens, grávidas e pessoas imunodeprimidas com sintomas sugestivos. Comparando as quantidades de anticorpos IgG e IgM em amostras de sangue colhidas em dias diferentes, o médico consegue distinguir infecção ativa e infecção latente.

    A pesquisa de anticorpos IgM no sangue de bebês é uma indicação de infecção congênita, que deve ser confirmada com a pesquisa direta do vírus.

    Detecção do vírus
    O vírus é pesquisado no sangue, em líquidos corporais ou em amostras de tecidos por cultura ou por detecção do material genético (DNA viral).

    As culturas de vírus podem estar positivas em um ou dois dias, mas devem ser mantidas durante três semanas para que os resultados negativos sejam confirmados, porque o vírus pode estar presente em quantidades muito pequenas ou porque a cepa na amostra apresenta crescimento lento.

    São usados métodos moleculares (reação em cadeia de polimerase - PCR) para detectar o DNA viral em diversos tipos de amostras. Podem ser qualitativos ou quantitativos. Os métodos quantitativos (carga viral) são usados para avaliar a resposta ao tratamento antiviral.

  • Quando o exame é pedido?

    Os exames para citomegalovírus são pedidos, junto com exames para influenza, mononucleose e vírus de Epstein-Barr (EBV), em jovens adultos, mulheres grávidas ou pessoas imunodeprimidas com sinais e sintomas como:

    • Fadiga, fraqueza
    • Dor de garganta
    • Aumento de linfonodos
    • Febre
    • Cefaleia (dor de cabeça0
    • Dores musculares

    Outros achados incluem inflamação em diversos órgãos, como olhos, pulmões, fígado, baço e tubo digestivo.

    Os exames são feitos também em recém-nascidos com icterícia, anemia, aumento do fígado e do baço, e bebês com problemas de visão ou de audição, pneumonia, convulsões ou sinais de retardo de desenvolvimento.

    Também são examinados candidatos a transplantes e pessoas imunodeprimidas, para determinar se foram expostos ao vírus.

    Exames quantitativos (carga viral) são usados para avaliar a resposta ao tratamento.

  • O que significa o resultado do exame?

    Os resultados devem ser interpretados com cuidado. Às vezes, é difícil distinguir infecção ativa, latente ou reativada, por diversas razões:

    • Uma pessoa saudável infectada mantém o vírus durante o resto da vida, e ele pode se reativar esporadicamente sem causar sintomas.
    • Uma pessoa imunodeprimida pode ter nível de anticorpos mais baixos que o esperado em uma infecção ativa ou reativada.
    • O vírus pode estar presente em pequena quantidade no material examinado.

    Pesquisa de anticorpos
    Se anticorpos IgG e IgM estiverem presentes em uma pessoa sintomática, é provável que tenha havido uma infecção recente ou a reativação de uma infecção antiga. Isso é confirmado repetindo a medida dos anticorpos IgG após duas ou três semanas. Um aumento de quatro vezes ou mais indica infecção ativa (primária ou reativada).

    O quadro abaixo resume os achados possíveis:

    Anti-CMV, IgM Anti-CMV, IgG Interpretações possíveis
    Negativo Negativo
    • Não há infecção atual ou anterior. Há susceptibilidade a infecção primária
    • Os sintomas são devidos a outra causa
    • Pessoas imunodeprimidas podem não produzir quantidades suficientes de anticorpos
    Positivo Negativo
    • Infecção primária recente
    • Reexposição recente ao CMV
    • Reativação recente de infecção latente
    Positivo Positivo (com aumento de 4 vezes entre duas amostras) Infecção ativa primária ou reativada
    Negativo Positivo Exposição antiga, infecção latente

    Detecção do vírus

    Uma cultura positiva em geral indica uma infecção ativa. Culturas negativas significam ausência de infecção ou uma quantidade muito pequena de vírus.

    A presença de DNA viral indica uma infecção ativa. Cargas virais altas ocorrem com infecções mais invasivas, com sintomas mais graves. Cargas virais baixas são observadas em infecções sem sintomas ou com sintomas brandos. Resultados negativos não excluem infecção – o vírus pode estar presente em quantidade muito pequena.

    Cargas virais decrescentes indicam resposta ao tratamento. Quando não há diminuição da carga viral, diz-se que há resistência ao tratamento usado.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    O citomegalovírus (CMV) é um dos agentes pesquisado no painel TORCH, que inclui exames para toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes simples, usado em triagem de mulheres grávidas para excluir infecções prejudiciais ao bebê.

    Pacientes com HIV/AIDS e candidatos a transplante que são soronegativos para CMV devem receber transfusões de sangue soronegativas para CMV.

  • Como posso saber quando minha infecção por CMV se reativou?

    Pessoas saudáveis não costumam apresentar reativações sintomáticas. O aparecimento de sintomas sugere problemas de imunidade. Consulte seu médico.

  • Se estiver infectado, posso transmitir o vírus para outras pessoas?

    Pessoas com infecção recente ou antiga, mesmo que não tenham sintomas, podem transmitir o vírus para outros. Entretanto, é necessário haver contato íntimo para ocorrer a transmissão. O vírus pode ser transmitido por diversos líquidos corporais, como saliva, leite, secreção vaginal, sêmen, urina ou sangue.

  • Há algum modo de evitar o CMV?

    Higiene cuidadosa ajuda a evitar a transmissão. Entretanto, como o CMV é muito comum e está presente na maioria dos líquidos corporais, muitas pessoas são infectadas ainda bebês. Calcula-se que até 70% dos bebês em creches sejam expostos ao vírus.

Páginas relacionadas

Neste site

Exames relacionados: Vírus de Epstein-Barr (EBV), herpes simples, vírus varicela-zoster, pesquisa de anticorpos, TORCH

Doenças e estados clínicos: HIV

Triagens: Gravidez: TORCH; recém-nascidos: doenças infecciosas

Em outros sites da Internet

CDC: Cytomegalovirus (CMV) Infection
March of Dimes: Cytomegalovirus Infection in Pregnancy
Nemours Foundation: Cytomegalovirus

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas

 

Fontes usadas na revisão atual

(Updated 2010 December 6) Cytomegalovirus (CMV) and Congenital CMV Infection, Interpretation of Laboratory Tests. Centers for Disease Control and Prevention [On-line information]. Available online at http://www.cdc.gov/cmv/clinical/lab-tests.html through http://www.cdc.gov. Accessed February 2011.

Akhter, K and Wills, T (Updated 2011 February 2). Cytomegalovirus. eMedicine [On-line information]. Available online at http://emedicine.medscape.com/article/215702-overview through http://emedicine.medscape.com. Accessed February 2011.

Hanson, K et al (Updated November 2010 ). Cytomegalovirus – CMV. ARUP Consult [On-line information]. Available online at http://www.arupconsult.com/Topics/CMV.html?client_ID=LTD through http://www.arupconsult.com. Accessed February 2011.

Mayo Clinic Staff (2009 May 1). Cytomegalovirus (CMV) infection. MayoClinic [On-line information]. Available online at http://www.mayoclinic.com/health/cmv/DS00938 through http://www.mayoclinic.com. Accessed February 2011.

Dugdale, D (Updated 2009 August 28). CMV serology test. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003546.htm. Accessed February 2011.

(Updated 2010 December 6) Cytomegalovirus (CMV) and Congenital CMV Infection, Testing and Diagnosis of CMV Infection. Centers for Disease Control and Prevention [On-line information]. Available online at http://www.cdc.gov/cmv/testing-diagnosis.html through http://www.cdc.gov. Accessed February 2011.

Pagana, K. D. & Pagana, T. J. (© 2011). Mosby's Diagnostic and Laboratory Test Reference 10th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp 350-351.

Forbes BA, Sahm DF, Weissfeld AS. Bailey & Scott's Diagnostic Microbiology 12th Edition: Mosby Elsevier, St. Louis, MO; 2007, Pp 728, 764-766.

Blood Bank Guy – Transfusion Medicine Education. Is Leukocyte Reduction Equivalent to CMV-seronegative Products for Prevention of Transfusion-transmitted CMV? Available online at http://www.bbguy.org/faq/transfusion-transmitted-cmv.asp through http://www.bbguy.org. Accessed July 1, 2011.

CDC HIV/AIDS. You Can Prevent CMV. Available online at http://www.cdc.gov/hiv/resources/brochures/cmv.htm through http://www.cdc.gov. Accessed July 1, 2011.

Fontes usadas em revisões anteriores

S1
Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

S2
Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

S3
(2002 October 26). Cytomegalovirus (CMV) Infection [16 paragraphs]. National Center for Infectious Diseases [On-line information]. Available FTP: http://www.cdc.gov/ncidod/diseases/cmv.htm

S4
(2004). Cytomegalovirus [13 paragraphs]. ARUP’s Guide to Clinical Laboratory Testing [On-line information]. Available FTP: http://www.aruplab.com/guides/clt/tests/clt_a191.jsp#1372836

S5
Bonham, C. (2000). Prevention and Treatment of Cytomegalovirus Infection in Liver and Intestinal Transplantation [27 paragraphs]. Medscape Transplantation 1(2), 2000 [From 'Nonsurgical Issues in Liver Transplantation,' a conference sponsored by MedImmune, Inc., Miami, Florida, June 2-4, 2000]. Available FTP: http://www.medscape.com/viewarticle/408776

S6
(2004) Cytomegalovirus Infection in Pregnancy [16 paragraphs]. March of Dimes, Professionals and Researchers, Quick Reference and Fact Sheets [On-line information]. Available FTP: http://www.marchofdimes.com/professionals/681_1195.asp

S7
Muir, A. (2002 January 29). CMV - gastroenteritis/colitis [24 paragraphs]. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available FTP: http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000667.htm

S8
Kotton, C. (2002 February 22). CMV – pneumonia [11 paragraphs]. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available FTP: http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000664.htm

S9
Kotton, C. (2002 February 22). CMV retinitis [21 paragraphs]. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available FTP: http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000665.htm

S10
Spruance, S. Cytomegalovirus Infection [7 paragraphs]. The Merck Manual – Second Home Edition [On-line information]. Available FTP: http://www.merck.com/pubs/mmanual_home2/sec17/ch198/ch198g.htm

S11
Cytomegalovirus (CMV) DNA by PCR, Qualitative [ paragraphs]. LabCorp Facets [On-line information]. Available as PDF

S12
Rawlinson, W. and Scott, G. (2003 October). Cytomegalovirus, A common virus causing serious disease [12 paragraphs]. Australian Family Physician Vol. 32, No. 10 [On-line journal]. Available as PDF

S13
Brennan, C. (2001). Cytomegalovirus in Renal Transplantation [34 paragraphs]. J Am Soc Nephrol 12:848-855 [On-line journal]. Available FTP: http://www.jasn.org/cgi/content/full/12/4/848

S14
Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (© 2007). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp 345-346.

S15
Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry, AACC Press, Washington, DC. Pp 1216-1217.

S16
Wu, A. (2006). Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, Fourth Edition. Saunders Elsevier, St. Louis, Missouri. Pp 1551-1553.

S17
(2006 February 6). About CMV [15 paragraphs]. CDC [On-line information]. Accessed on: 12/9/07. Available FTP: http://www.cdc.gov/cmv/facts.htm

S18
(2006 March 28). Frequently Asked Questions about CMV [22 paragraphs]. CDC [On-line information]. Accessed on: 12/9/07. Available FTP: http://www.cdc.gov/cmv/faqs.htm

S19
(2006 February 6). Signs and Symptoms of CMV [4 paragraphs]. CDC [On-line information]. Accessed on: 12/9/07. Available FTP: http://www.cdc.gov/cmv/signs.htm

S20
(2006 February 6). CMV Tests for You and Your Baby [5 paragraphs]. CDC [On-line information]. Accessed on: 12/9/07. Available FTP: http://www.cdc.gov/cmv/testing.htm

S21
(2005 November 4). CMV Diagnosis [5 paragraphs]. CDC [On-line information]. Accessed on: 12/9/07. Available FTP: http://www.cdc.gov/cmv/diagnosis.htm

S22
(2007 February 12). Neurological Consequences of Cytomegalovirus Infection Information Page [6 paragraphs]. NINDS [On-line information]. Accessed on: 12/23/07. Available FTP: http://www.ninds.nih.gov/disorders/cytomegalic/cytomegalic.htm

S23
CMV - immunocompromised host [18 paragraphs]. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Accessed on: 12/23/07. Available FTP: http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000663.htm