Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
20 de Setembro de 2017.

O que é?


Diarreia é um sintoma comum de distúrbios gastrointestinais. É caracterizada por emissão frequente de fezes amolecidas ou líquidas, acompanhada de dor e cólicas abdominais, náuseas e fadiga. Em alguns casos, pode haver sangue ou muco nas fezes. A maioria dos adultos tem alguns episódios brandos de diarreia por ano, em geral agudos e autolimitados. Entretanto, diarreia intensa ou crônica pode ser perigosa, especialmente em crianças pequenas e idosos.
A diarreia intensa e prolongada pode causar desidratação e distúrbios eletrolíticos. Algumas pessoas afetadas podem precisar de internação hospitalar. Em bebês, pode ocorrer desidratação importante em um a dois dias.

Causas comuns


Há muitas causas infecciosas e não infecciosas de diarreia aguda ou crônica. Algumas infecções por vírus, bactérias e outros parasitas estão associadas a diarreia que, ao durar de alguns dias a semanas, pode se tornar crônica em pessoas imunodeprimidas, como as que têm AIDS/HIV ou câncer, ou que foram submetidas a transplantes. A causa mais comum de diarreia infecciosa é a ingestão de alimentos ou água contaminados.

A pessoa contaminada transmite a infecção para outras, a não ser que sejam usadas medidas sanitárias adequadas, especialmente lavar cuidadosa as mãos, mas isso pode ser difícil de se conseguir em casa com crianças infectadas, em creches e em casas de saúde. Algumas vezes um surto pode ser localizado a partir de um determinado restaurante ou de um determinado alimento em um piquenique. Outra causa comum é água contaminada. A doença também pode ser causada por coisas simples, como cubos de gelo e vegetais frescos.

Causas comuns de diarreia aguda

Parasitas: Os parasitas unicelulares mais comuns que causam diarreia são Giardia lamblia, Entamoeba histolytica e Cryptosporidium parvum. São encontrados em rios e lagos em todo o mundo. Podem contaminar piscinas e fontes comunitárias de abastecimento de água.

Existem diversos tipos de vermes que podem causar diarreia, especialmente nos países tropicais. A infecção em geral é transmitida pela ingestão de alimentos contaminados com ovos dos parasitas, mas alguns deles podem também penetrar na pele. No Brasil, as verminoses mais comuns que causam diarreia são ascaridíase, estrongiloidíase, ancilostomose e teníase.

Vírus: Rotavírus são uma causa comum de diarreia intensa em crianças. Outros vírus incluem norovírus, adenovírus, calcivírus, citomegalovírus e HIV. Norovírus são transmitidos com facilidade em água contaminada. Costumam estar presentes em surtos de gastroenterites em navios, casas de saúde, escolas, instalações militares e outros ambientes com aglomeração de pessoas.

Bacterias:

  • Salmonella, encontrada com frequência em ovos crus, carne crua de aves e répteis domésticos.
  • Shigella, de alimentos ou água contaminados com fezes
  • Campylobacter, de carne de aves crua ou mal cozida
  • Escherichia coli 0157:H7, de carne crua ou mal cozida, suco de maça e espinafre. Causa diarreia com sangue, podendo evoluir para síndrome hemolítica urêmica, um quadro clínico com destruição de hemácias e insuficiência renal.
  • Outras: Staphylococcus aureus e algumas espécies de Yersinia e Vibrio

Diarreia aguda também pode ser provocada por medicamentos, especialmente antibióticos de largo espectro. O tratamento com antibióticos pode reduzir a flora normal do intestino, que constitui uma barreira contra bactérias patológicas. Toxinas produzidas pelo Clostridium difficile são, com frequência, causadoras de diarreia induzida por antibióticos.

Causas comuns de diarreia crônica:
Diarreias crônicas, que duram mais de algumas semanas, diarreias esporádicas e diarreias que se alternam com constipação em geral têm causas não infecciosas, que incluem:

  • Doenças inflamatórias intestinais, como a doença de Crohn
  • Disfunção intestinal, como a síndrome do cólon irritável
  • Doenças com má absorção, como a fibrose cística
  • Cirurgias do estômago ou da vesícula biliar, que podem alterar o fluxo digestivo
  • Intolerância a alimentos, como a intolerância à lactose e a doença celíaca
  • Quimioterapia ou radioterapia abdominal
  • Distúrbios endócrinos, como diabetes e doenças da tireoide
  • Uso excessivo de laxantes
  • Causas psicogênicas, como estresse

Exames


A frequência, a quantidade e a consistência das fezes normais variam muito. Dependem do metabolismo, dos alimentos ingeridos, do nível de atividade, dos líquidos ingeridos e até do nível de estresse no momento. O médico procura alterações que podem estar associadas à diarreia, e faz perguntas para escolher os exames que o paciente deverá fazer, como:

  • Frequência das evacuações?
  • Duração da diarreia?
  • Consistência, cor e volume das fezes?
  • Presença de sangue ou de muco nas fezes?
  • Outros sintomas: dor, náuseas, febre, cefaleia, fadiga?
  • Alimentos ingeridos recentemente?
  • Acampamento? Viagem? Onde?
  • Outras pessoas, familiares, amigos, colegas de trabalho estão com diarreia?
  • Medicamentos de uso recente?

Exames laboratoriais
Diarreias não complicadas e de curta duração em geral não são investigadas. Por outro lado, quando é intensa, com sangue ou muco, ou não parece melhorar, precisam ser feitos alguns exames, principalmente se o paciente viajou ou se existirem outras pessoas com diarreia. Os exames podem incluir:

  • Pesquisa de ovos e parasitas nas fezes. Exame microscópico das fezes que procura parasitas, ovos ou cistos.
  • Pesquisa de leucócitos nas fezes. Leucócitos podem estar presentes quando há uma infecção bacteriana.
  • Gordura nas fezes. Pode ser vista em distúrbios com má absorção.
  • Cultura de fezes, para investigar bactérias patogênicas.
  • Pesquisa de antígenos de Giardia lamblia, Crystosporidium parvum e Entamoeba histolytic. São exames mais sensíveis e específicos que a pesquisa microscópica de parasitas e cistos.
  • Testes alérgicos e de intolerância a alimentos, como lactose.
  • Exames para doença celíaca, como anticorpos antiendomísio e antigliadina.
  • Anticorpos contra parasitas. Não têm utilidade para diagnosticar a infecção atual, mas este exame pode ser feito para infecções passadas ou crônicas, especialmente quando há suspeita de uma infecção incomum.
  • Pesquisa de antígenos de rotavírus.
  • Toxina do Clostridium difficile Teste rápido para pesquisa de antígeno da toxina.
  • Eletrólitos. Pesquisa de desequilíbrios quando há desidratação.

Exames não laboratoriais
Algumas fezes, exames endoscópicos e de imagem podem ser usados para ajudar o diagnóstico.

Prevenção


A melhor maneira de evitar infecções gastrointestinais é não ingerir água ou alimentos que possam estar contaminados e manter medidas de higiene, como lavar as mãos. Alimentos que possam estar contaminados, como carne ou ovos, devem ser completamente cozidos. Os alimentos cozidos ou crus não devem entrar em contato com nenhuma superfície que possa estar contaminada.

Se alguém em casa está com uma diarreia infecciosa, toda a família deve lavar as mãos com cuidado. É preciso que a pessoa infectada evite preparar alimentos até que esteja curada.

Quando uma pessoa viaja para países onde infecções intestinais são endêmicas, é melhor beber apenas bebidas engarrafadas e alimentos bem cozidos. Evite vegetais frescos, a não ser que a própria pessoa possa descascá-los.

Infecções alimentares podem se tornar um problema de saúde pública, quando há contaminação de alimentos em restaurantes ou no suprimento de água.

Tratamento


Diarreias não complicadas e que passam em alguns dias não precisam ser tratadas. Basta manter-se bem hidratado. A maioria das infecções bacterianas gastrointestinais se resolve sem tratamento em pessoas normais. Em alguns casos, os antibióticos podem até prolongar a eliminação da bactéria, mantendo o paciente como portador durante meses. Pacientes com imunodeficiência, como os que têm câncer ou HIV, podem ser tratados com antibióticos porque não são capazes de eliminar a bactéria. Quando a diarreia é intensa ou demora a passar, o médico pede exames para orientar o tratamento.

Para infecções virais e muitas infecções bacterianas, o principal tratamento é manter o paciente hidratado verificando a reposição de água e de eletrólitos. Crianças e pacientes muito desidratados podem precisar ser internados para reposição intravenosa.

A maioria das infecções parasitárias é tratada, embora algumas possam se resolver sozinhas. Em alguns casos, o médico pode tratar toda a família, mesmo quando apenas um membro é afetado.

Fale com o médico antes de tomar medicamentos antidiarreicos. A diarreia é um modo do corpo se livrar de uma infecção. Os medicamentos podem retardar a cura e até piorar a infecção.

Diarreias por intolerância a alimentos são tratadas evitando aquele que pode causar o problema, como a lactose. O diagnóstico de doença celíaca exige que a pessoa evite todos os alimentos que contêm glúten.

Páginas relacionadas


Neste site
Exames: cultura de fezes, pesquisa de ovos e parasitas, exames para doença celíaca
Estados clínicos/Doenças: doença celíaca, fibrose cística

Em outros sites da Internet
AAFP, familydoctor.org: Diarrhea
NDDIC: Diarrhea
CDC, Division of Parasitic Diseases: Fact Sheet, Chronic Diarrhea
Nemours Foundation, KidsHealth: Infectious Diarrhea
CDC Health Information for International Travel 2008: Pre- and Post-travel General Health Recommendations
DPDx: Laboratory Identification of Parasites of Public Health Concern
NIDDK: Colonoscopy
NIDDK: Flexible Sigmoidoscopy

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (© 2007). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp 273, 887.

Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry, AACC Press, Washington, DC. Pp 305-306.

Wu, A. (2006). Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, Fourth Edition. Saunders Elsevier, St. Louis, Missouri. Pp 1607-1610.

(2007 April, Updated). Surawicz, C. and Ochoa, B. Diarrheal Diseases. The American College of Gastroenterology [On-line information]. Available online through http://www.acg.gi.org/. Accessed on 3/9/08.

(2007 August 30). Chronic Diarrhea. CDC, Division of Parasitic Diseases, Fact Sheet [On-line information]. Available online through http://www.cdc.gov/. Accessed on 3/9/08.

(2007 January 4). Diarrhea. American Cancer Society [On-line information]. Available online through http://www.cancer.org/. Accessed on 3/9/08.

Norovirus Technical Fact Sheet. CDC, National Center for Infectious Diseases, Respiratory and Enteric Viruses Branch [On-line information]. Available online through http://www.cdc.gov/. Accessed on 3/15/08.

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

(2001 January, Updated). Diarrhea. National Digestive Diseases Information Clearinghouse, NIH Publication No. 01-2749 [On-line information]. Available online through http://www.niddk.nih.gov.

(2003 January). Traveler's Diarrhea. AAFP, familydoctor.org, Handouts [On-line information]. Available online through http://familydoctor.org.

(1999 August 19). Chronic Diarrhea. CDC, Division of Parasitic Diseases, Fact Sheet [On-line information]. Available online at http://www.cdc.gov/ncidod/dpd through http://www.cdc.gov.

(2003 April). Irritable Bowel Syndrome. National Digestive Diseases Information Clearinghouse, NIH Publication No. 03-693 [On-line information]. Available online through http://www.niddk.nih.gov.

(2001 August 20). Viral Gastroenteritis. National Center for Infectious Diseases, Respiratory and Enteric Viruses Branch [On-line information]. Available online at http://www.cdc.gov/ncidod/dvrd/revb/ through http://www.cdc.gov.

(2001 August 20). Rotavirus. National Center for Infectious Diseases, Respiratory and Enteric Viruses Branch [On-line information]. Available online at http://www.cdc.gov/ncidod/dvrd/revb through http://www.cdc.gov.

(2003 January 21). Norovirus: Technical Fact Sheet. National Center for Infectious Diseases, Respiratory and Enteric Viruses Branch [On-line information]. Available online at http://www.cdc.gov/ncidod/dvrd/revb through http://www.cdc.gov.

(2002 September 03). Antibiotic-associated diarrhea. Mayoclinic.com, Diseases and Conditions [On-line information]. Available online through http://www.mayoclinic.com.

A.D.A.M. editor, Updated (2002 February 28). Diarrhea. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003126.htm.

Hait, E., Updated (2002 February 19). Babies and Diarrhea. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/001965.htm.

Kennedy, V. of A.D.A.M, Updated (2001 October 03). Drug-induced diarrhea. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000293.htm.

Muir, A., Updated (2001 December 03). Enteritis. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/001149.htm.

Lehrer, J., Updated (2002 November 07). Irritable bowel syndrome. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000246.htm.

Muir, A., Updated (2001 December 03). Stool C. difficile toxin. MEDLINEplus Health Information, Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003590.htm.