Também conhecido como
HBsAg
HBeAg
Anti-HBs
Anti-Hbe
Anti-HBc total
Anti-HBc IgM
Carga viral do HBV
Nome formal
Hepatite B
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
22 de Junho de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para detectar, diagnosticar ou acompanhar a evolução de uma infecção pelo vírus da hepatite B (HBV) ou para verificar o nível de imunidade após a vacinação contra hepatite B

Quando fazer este exame?

Quando uma pessoa tem sintomas de hepatite ou foi exposta ao vírus da hepatite B; pessoas com doença hepática crônica; após vacinação contra hepatite B; durante o tratamento para hepatite B

Amostra:

Uma amostra de sangue obtida de uma veia do braço.

É necessária alguma preparação?

Nenhuma

O que está sendo pesquisado?

A hepatite B é uma doença inflamatória infecciosa do fígado provocada pelo vírus da hepatite B (HBV). No mundo, é a causa mais comum de hepatite aguda e de hepatite crônica, embora, em algumas áreas, predomine a hepatite C como causa de hepatite crônica. A Organização Mundial de Saúde calcula que haja cerca de 350 milhões de pessoas infectadas no mundo.

A transmissão acontece por contato com sangue ou outros líquidos corporais de pessoas infectadas. Pode ocorrer, por exemplo, ao usar agulhas de injeção contaminadas ou ter relações sexuais sem usar proteção. As mães podem transmitir a infecção para os bebês, em geral durante o parto. Por outro lado, o vírus não se dissemina por alimentos ou pela água, nem por contatos sociais como toque de mãos, tosse ou espirros.

A infecção inicial pode não provocar sintomas ou pode causar um quadro de hepatite aguda que, em geral, se resolve em algumas semanas, sem tratamento. Uma parte das pessoas infectadas desenvolve hepatite crônica, com inflamação persistente do fígado que, após alguns anos, resulta em complicações graves, como cirrose hepática ou câncer de fígado. As formas ou estágios da hepatite B são:

  • Infecção aguda. Sinais e sintomas de hepatite com exames positivos.

  • Infecção crônica. Infecção persistente com inflamação do fígado e exames alterados.

  • Portador assintomático. Infecção persistente sem inflamação do fígado. A pessoa parece saudável mas pode infectar outras. Os exames detectam o vírus.

  • Infecção “resolvida”. Não há evidências clínicas nem laboratoriais de infecção, mas o vírus está presente em forma inativa no fígado, e pode se reativar.

Os sinais e sintomas de Hepatite B são os mesmos de outros tipos de hepatites, incluindo febre, prostração, náuseas, vômitos e icterícia. Exames como bilirubina e enzimas hepáticas indicam hepatite. Exames para detecção de vírus determinam a causa.

Embora possa ter consequências graves a longo prazo, a infecção aguda pelo HBV em geral se resolve espontaneamente. Bebês e crianças pequenas têm uma tendência maior a desenvolverem a infecção crônica. O uso generalizado da vacina para hepatite B em bebês e adultos desde a década de 1990 está diminuindo o número de infecções nos países onde ela é empregada.

Os exames para identificar o vírus pesquisam anticorpos produzidos em resposta à infecção, antígenos virais ou o DNA viral. Podem ser usados para detectar infecção aguda ou crônica, mesmo quando não há sintomas, ou para monitorar a evolução e o tratamento da infecção crônica.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de sangue é obtida de uma veia do braço.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Nenhuma preparação é necessária.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    Existem diversos exames para o diagnóstico de hepatite B. Eles detectam anticorpos produzidos em resposta à infecção, antígenos produzidos pelo vírus ou DNA viral. Grupos diferentes desses exames são usados para diagnóstico e acompanhamento da infecção aguda, ou para detectar infecção crônica ou portadores assintomáticos.

    Como os nomes dos exames imunológicos são longos, são empregadas as seguintes siglas:

    HBsAg Antígeno de superfície da hepatite B
    Anti-HBs Anticorpos contra o HBsAg
    Anti-HBc total       Anticorpos totais contra o antígeno c da hepatite B (IgG e IgM)                       
    Anti-HBc IgM Anticorpos IgM contra o antígeno c da hepatite B
    HBeAg Antígeno e da hepatite B
    Anti-HBeAg Anticorpos contra o HBeAg

     A relação abaixo mostra os principais usos dos exames:

    • Para detectar infecção aguda: HBsAg e anti-HBc IgM. Pode ser pesquisado também o HBeAg.

    • Para diagnosticar Hepatite B crônica: HBsAg e carga viral do vírus da hepatite B (HBV). Pode ser pesquisado o HBeAg.

    • Para acompanhar a infecção crônica e seu tratamento: HBsAg, HBeAg, anti-HBs, anti-Hbe e carga viral do HBV

    • Para detectar imunidade ao vírus, adquirida em infecção anterior ou por vacinação: anti-HBs e anti-HBc total

    Esses exames são utiizados também em triagem de populações em risco e de doadores de sangue.

    Para distinguir diferentes tipos de hepatites agudas virais, podem ser pedidos junto com exames para hepatite A (HAV) e hepatite C (HCV).

    A tabela seguinte resume os exames e seus usos:

    Teste Descrição Uso
    HBsAg Proteína da superfície do vírus; presente no sangue em infecções agudas e crônicas. Para triagem e diagnóstico de infecção aguda ou crônica; primeiro indicador positivo de infecção aguda; indetectável após a recuperação de infecções agudas.
    Anti-HBs Anticorpos contra o HBsAg; níveis se elevam durante a recuperação da infecção aguda. Indica exposição anterior ao HBV ou vacinação. Quando negativo, significa que a pessoa não está imunizada e pode precisar de vacinação ou de reforço da vacinação anterior.
    Anti-HBc IgM Anticorpos IgM contra o antígeno c do HBV. Este antígeno não é detectado no sangue, mas está presente nas células hepáticas infectadas. Primeiro anticorpo produzido após a infecção; usado para distinguir infecção aguda e crônica.
    Anti-HBc total Anticorpos IgM e IgG contra o antígeno c do HBV. Usado com o anti-HBc IgM para distinguir infecção aguda e crônica; ao contrário do anticorpo IgM, o IgG permanece pelo resto da vida.
    HBeAg Proteína liberada no sangue quando o vírus está se replicando. Este antígeno só é encontrado no sangue quando o vírus está se replicando. Utilizado como marcador de infectividade e de eficácia do tratamento. Como algumas cepas do HBV, especialmente no Oriente Próximo e na Ásia, não produzem esse antígeno, é preciso tomar cuidado ao interpretar resultados negativos.
    Anti-HBe Anticorpos contra o antígeno e do HBV. Persiste no sangue, como o anti-HBs e o anti-HBc total, após recuperação da infecção aguda. Pode ser usado para monitorar o tratamento na infecção crônica.
    Carga viral do HBV Mede a quantidade de DNA do HBV no sangue. Para monitorar o tratamento da infecção crônica.

    Esses exames detectam o HBV mas não avaliam a função hepática, acompanhada, como em todas as hepatites, por exames como AST (aspartato aminotransferase), ALT (alanina aminotransferase) e gama-glutamil transferase (gama-GT). Em alguns casos, é feita uma biópsia hepática para avaliar o estado do fígado.

  • Quando o exame é pedido?

    Os exames para hepatite B são pedidos quando alguém tem sinais e sintomas de hepatite aguda, para verificar se ela é provocada pelo vírus da hepatite B (HBV). Os principais são:

    • Febre

    • Fadiga

    • Perda do apetite

    • Náuseas, vômitos

    • Dor abdominal

    • Urina escura

    • Fezes claras

    • Icterícia

    • Dores articulares

    Alguns exames, como ALT e AST confirmam o diagnóstico de hepatite. Os de hepatite B e outras hepatites identificam o agente causador. Algumas vezes, os sintomas são brandos e podem ser confundidos com os de um resfriado comum. A hepatite B crônica com frequência não causa sintomas, e é detectada por resultados anormais de exames de rotina.

    A pesquisa do HBsAg é feita em triagens de categorias de risco de hepatite B, como:

    • Profissionais de saúde não vacinados para Hepatite B

    • Pessoas não vacinadas que estiveram em área endêmicas de hepatite B

    • Homens que praticam sexo com homens

    • Pessoas com enzimas hepáticas (AST e ALT) elevadas sem uma causa conhecida

    • Candidatos a tratamento imunossupressor

    • Mulheres grávidas não vacinadas

    • Pessoas em contato íntimo com indivíduos infectados

    • Infectados com o HIV

    Pessoas com infecção crônica pelo HBV fazem exames periódicos para acompanhar a evolução da doença e a resposta ao tratamento. A carga viral do HBV é o exame preferido para avaliar a resposta ao tratamento.

    O HBsAg é pesquisado em todas as doações de sangue.

  • O que significa o resultado do exame?

    Os exames para Hepatite B em geral são pedidos em combinações co outros, dependendo da razão do pedido.

    A tabela abaixo resume a interpretação dos resultados mais comuns.

    HBsAg Anti-HBs Anti-HBc IgM Anti-HBc total HBeAg* Anti-HBe Interpretação
    Negativo Negativo   Negativo     Sem contato anterior com o vírus, candidato à vacinação. Pode estar no período de incubação da infecção.
    Positivo Negativo Negativo Negativo Positivo Negativo Infecção inicial.
    Positivo Negativo Positivo ou negativo Positivo ou negativo Positivo Negativo Infecção aguda, em geral com sintomas.
    Positivo Negativo Positivo Positivo Negativo* Positivo Infecção aguda avançada.
    Negativo Negativo Positivo Positivo Negativo* Positivo Convalescença da infecção aguda.
    Negativo Positivo Negativo Positivo Negativo Positivo Imunidade após o fim da infecção aguda.
    Positivo Negativo Negativo Positivo Positivo Negativo Infecção crônica ativa; provável lesão hepática.
    Positivo Negativo Negativo Positivo Negativo* Positivo Portador assintomático
    Negativo Positivo   Negativo     Imunidade após vacinação.

    *Nota: Algumas cepas de HBV, especialmente no Oriente próximo e na Ásia, não produzem o antígeno e. Resultados negativos devem ser interpretados com cuidado porque podem significar que o antígeno não está presente ou que a pessoa está infectada com uma cepa não produtora do antígeno.

    Carga viral da Hepatite B

    Esse exame mede a quantidade de vírus presente no sangue, expressa em unidades internacionais por mililitro. Cargas virais altas indicam replicação do vírus, que a infecção pode ser transmitida e que há risco de lesão hepática.

    Resultados abaixo do limite inferior do método sugerem que não há infecção ou que a quantidade de vírus é pequena e, provavelmente, a doença não pode ser transmitida, ou que o tratamento foi eficaz.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Mesmo quando não há sintomas, a hepatite B pode lesar o fígado e ser transmitida para outras pessoas. Por isso, é importante examinar qualquer individuo que foi exposto ao vírus.

    O vírus da hepatite D (HDV) causa infecção hepática somente quando existe infecção pelo da hepatite B. A infecção pelos dois vírus pode ser simultânea (coinfecção) ou sucessiva, com a hepatite B precedendo a hepatite D (superinfecção). Não há vacina para a hepatite D, mas, como ela só causa infecção em presença da hepatite B, é evitada pela vacina contra esta última doença.

  • Se houver uma suspeita de infecção pelo HBV, a pessoa deve fazer todos esses exames?

    Não. O médico determina que exames são necessários para cada paciente.

  • Quem deve ser vacinado?

    Devem ser vacinados bebês, crianças, adolescentes e adultos em risco. Estes são os que têm contato com pessoas infectadas, em diálise, com doenças crônicas hepáticas ou renais, com HIV, que procuram tratamento para doenças transmitidas sexualmente, usuários de drogas injetáveis e pessoas que viajam para países onde a hepatite B é comum.

  • Como a Hepatite B é tratada?

    Em geral não é necessário tratamento da infecção aguda, além de cuidados gerais e tratamento dos sintomas.

    A infecção crônica pode ser tratada com medicamentos antivirais, como interferon, entecavir, tenofovir, lamivudine e adefovir. É necessário receber acompanhamento médico constante porque o tratamento provoca efeitos colaterais e nem sempre é necessário. O possível desenvolvimento de cirrose hepática ou câncer de fígado deve ser monitorado.

  • Páginas relacionadas
Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas

 

Fontes usadas na versão atual

Henry's Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods. 21st ed. McPherson RA and Pincus MR, eds. Philadelphia: 2007, Pp 271-272.

Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry. AACC Press, Washington, DC, Pp 273-275, 491-492.

American Association for the Study of Liver Diseases Practice Guidelines, Chronic Hepatitis B: Update 2009. PDF available for download at http://publish.aasld.org/practiceguidelines/Documents/Bookmarked%20Practice%20Guidelines/Chronic_Hep_B_Update_2009%208_24_2009.pdf through http://publish.aasld.org. Accessed January 2010.

Centers for Disease Control and Prevention (Reviewed July 8, 2008). Hepatitis B information for Health Professionals. Available online at http://www.cdc.gov/hepatitis/HBV/index.htm through http://www.cdc.gov. Accessed January 2010.

Centers for Disease Control and Prevention (July 19, 2008). Hepatitis B FAQs for the Public. Available online at http://www.cdc.gov/hepatitis/B/bFAQ.htm#overview through http://www.cdc.gov. Accessed January 2010.

Tietz Textbook of Clinical Chemistry and Molecular Diagnostics. Burtis CA, Ashwood ER, Bruns DE, eds. St. Louis: Elsevier Saunders; 2006, Pp 1805-1806, 1809-1811.

(Revised January 6, 2010) Hepatitis B Foundation, Diagnosis and Management. Available online at http://www.hepb.org/diagnosis/index.htm through http://www.hepb.org. Accessed January 2010.

ArupConsult. Hepatitis B Testing and Testing Algorithm. Available online at http://www.arupconsult.com/Topics/InfectiousDz/Viruses/HBV.html# through http://www.arupconsult.com and PDF available for download at http://www.arupconsult.com/Algorithms/HBV.pdf. Accessed January 2010.

MedlinePlus Medical Encyclopedia. Hepatitis B. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000279.htm. Accessed January 2010.

Fontes usadas em revisões anteriores

Clinical Chemistry: Principles, Procedures, Correlations. Michael L. Bishop, Janet L. Duben-Engelkirk, Edward P. Fody. Lipincott Williams & Wilkins, 4th Edition.