Também conhecido como
B2M
B2M
β2-microglobulina
Timotaxina
Nome formal
Beta-2 microglobulina, soro, urina, ou LCR
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em 04 de Dezembro de 2017.
At a Glance
Por que fazer este exame?

Para auxiliar na avaliação da gravidade e determinação do prognóstico em casos de mieloma múltiplo, leucemia ou linfoma; para distinguir distúrbios renais e detectar lesão renal.

Quando fazer este exame?

Quando o paciente apresentar diagnóstico de mieloma múltiplo ou outros tipos de câncer; algumas vezes para monitorar o tratamento; quando o paciente apresenta sinais de disfunção renal.

Amostra:

Amostra de sangue obtida por punção de veia do braço; algumas vezes amostra de urina de 24 horas; raramente amostra de líquido cefalorraquiano (LCR).

É necessária alguma preparação?

Nenhuma

O que está sendo pesquisado?

A beta2-microglobulina (B2M) é uma proteína encontrada na superfície de quase todas as células do organismo. Está presente na maioria dos líquidos corporais e aumentada no sangue de indivíduos com câncer como mieloma múltiplo, leucemia e linfoma e também em processos inflamatórios. O teste mede a B2M em sangue, urina e, raramente, no líquido cefalorraquiano (LCR).
Nos rins, a B2M passa pelas unidades filtradoras de sangue, os glomérulos, para serem reabsorvidas pelos túbulos renais, estruturas que reabsorvem água, proteínas, vitaminas, minerais e outras substâncias úteis ao organismo. Normalmente, pequenas quantidades de B2M estão presentes na urina, mas quando os túbulos renais estão danificados ou enfermos, suas concentrações aumentam em razão da menor reabsorção. Nos indivíduos com doença renal que estejam fazendo diálise, a B2M pode formar longas cadeias proteicas que se depositam em articulações e tecidos e causam rigidez e dor. Esse quadro é denominado amiloidose por B2M associada à diálise

Os níveis de B2M podem aumentar no LCR de pacientes com câncer de células sanguíneas que envolvem o cérebro, como leucemia e linfoma, mas também em alguns distúrbios crônicos como esclerose múltipla e infecções virais como por HIV.

Como a amostra é obtida para o exame?

A amostra de sangue é obtida por punção da veia do braço. Também pode-se coletar amostra de urina de 24 h. Em raras situações o médico solicita a coleta do LCR do espaço intervertebral lombar por meio de procedimento denominado punção lombar.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Não há necessidade de preparo para o teste.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    As carcaterísticas da beta-2 microglobulina (B2M) fazem dela um marcador tumoral útil para alguns tipos de câncer de células do sangue, para detectar dano renal e para distinguir entre distúrbios renais glomerulares e tubulares. A B2M não é um teste diagnóstico para doenças específicas, mas fornece ao médico informação adicional sobre o prognóstico do paciente e sobre o estado de saúde dos seus rins.

    • Como marcador tumoral: o teste no sangue de B2M pode ser solicitado para ajudar a determinar a gravidade e o grau de disseminação (estágio) em caso de mieloma múltiplo e, algumas vezes, para avaliar se o tratamento é eficaz. A B2M está associada à carga tumoral (quantidade de câncer presente) e o teste ajuda a avaliar o prognóstico em casos de cânceres como leucemia e linfoma.
    • Na doença renal: os testes de B2M tanto em urina quanto no sangue podem ser pedidos junto com outros exames para avaliar a função renal, como BUN, creatinina, e microalbuminúria para investigar dano e doença renal e para distinguir entre distúrbios que afetam os glomérulos daqueles que comprometem os túbulos renais. O teste de B2M também é usado para monitorar pessoas que receberam transplante renal, a fim de detectar sinais precoces de rejeição, e para monitorar indivíduos que estejam expostos a níveis elevados de cádmio, mercúrio, como nos casos de exposição ocupacional.
    • Raramente, o teste de B2M no LCR é solicitado para investigar o envolvimento do sistema nervoso central em alguma doença. Normalmente não é usado para detectar ou monitorar pacientes em diálise, portadores de amiloidose, doenças inflamatórias ou HIV.
  • Quando o exame é pedido?

    O teste de B2M pode ser feito para investigação inicial de pessoas com diagnosticado de mieloma múltiplo, para estadiamento da doença e, periodicamente, para monitorar a efetividade do tratamento. Algumas vezes pede-se o teste quando o indivíduo é portador de leucemia ou linfoma para auxiliar no prognóstico.

    O exame de B2M também é feito no sangue ou na urina quando o paciente apresenta sintomas associados a disfunção renal e o médico deseja distinguir entre distúrbios que afetam os glomérulos daqueles que atingem os túbulos renais. O teste na urina pode ser realizado periodicamente para monitorar quem recebeu transplante renal e para acompanhar aqueles expostos a concentrações elevadas de cádmio ou mercúrio.

    A B2M no LCR raramente é solicitada quando o médico suspeita que uma doença, como leucemia ou linfoma, está afetando o sistema nervoso central.

  • O que significa o resultado do exame?

    Níveis aumentados de B2M no sangue e na urina indicam que há um problema, mas não são diagnósticos de alguma doença ou quadro específico. O aumento na dosagem de B2M reflete atividade de doença e carga tumoral. Se um indivíduo tem diagnóstico de mieloma múltiplo, leucemia ou linfoma, seu prognóstico é pior quando os níveis no sangue de B2M estão significativamente elevados. A redução na concentração em alguém com mieloma múltiplo indica que a pessoa está respondendo ao tratamento. Se os níveis se apresentam estáveis ou crescentes significa que o paciente não está respondendo ao tratamento.

    Em pacientes com sinais de doença renal, níveis aumentados de B2M no sangue com níveis baixos na urina indicam que o distúrbio está associado à disfunção dos glomérulos. Se a B2M estiver baixa no sangue e alta na urina, é provável que o indivíduo tenha lesão ou doença nos túbulos renais. O aumento de B2M na urina de quem recebeu transplante renal pode ser um indicador precoce de rejeição. O aumento de B2M em indivíduo exposto a elevadas doses de cádmio ou de mercúrio pode indicar disfunção renal inicial.

    O aumento da B2M no LCR em indivíduo com leucemia ou HIV/AIDS indica provável envolvimento do sistema nervoso central.
    Níveis baixos de B2M são considerados normais. A B2M pode não ser detectada na urina e no LCR.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Os quadros associados a aumento na taxa de produção ou de destruição de células, infecções graves, infecções virais como por CMV (citomegalovírus) e algumas condições que ativam o sistema imune, como quadros inflamatórios e doenças autoimunes, podem causar aumento nos níveis de B2M.

    Medicamentos como lítio, ciclosporina, cisplatina, carboplatina e aminoglicosídeos podem aumentar as concentrações urinárias ou sanguíneas de B2M.

    Os resultados também podem ser afetados por procedimentos diagnósticos em medicina nuclear e pelo uso de meios de contraste em radiografias.

  • Há indicação para que todos façam um teste de B2M?

    A maioria das pessoas jamais terá que fazer um teste de B2M. Não há indicação ou utilidade no seu uso como teste de rastreamento na população em geral.

  • O teste pode ser feito no consultório do médico?

    Não, porque requer equipamento e treinamento específicos e não está disponível em todos os laboratórios. As amostras de sangue ou urina devem ser enviadas para um laboratório de referência.

  • Posso optar entre os exames de sangue e urina?

    Na maioria dos casos, a amostra a ser testada será definida pelo motivo da solicitação do exame. É possível que haja necessidade de analisar o sangue, a urina, ou ambos ao mesmo tempo. Em geral, os resultados não são intercambiáveis.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

 

Pagana, K. D. & Pagana, T. J. (© 2007). Mosby's Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp 155-156.

Wu, A. (© 2006). Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, 4th Edition: Saunders Elsevier, St. Louis, MO. Pp 742-743.

(© 2008). Multiple Myeloma Disease Overview. Multiple Myeloma Research Foundation [On-line information]. PDF available for download at http://www.multiplemyeloma.org/downloads/about_myeloma/MMRF_Disease_Overview.pdf through http://www.multiplemyeloma.org. Accessed August 2009.

(Modified 2009 July 23). General Information About Multiple Myeloma and Other Plasma Cell Neoplasms. National Cancer Institute. [On-line information]. Available online at http://www.cancer.gov/cancertopics/pdq/treatment/myeloma/patient/ through http://www.cancer.gov. Accessed August 2009.

Basu, A. et. al. (Updated 2008 February 22). Amyloidosis, Beta2M (Dialysis-Related) eMedicine [On-line information]. Available online at http://emedicine.medscape.com/article/246542-overview through http://emedicine.medscape.com. Accessed August 2009.

Holmes, R. et. al. (Updated: 2009 July 30). Amyloidosis, Overview. eMedicine [On-line information]. Available online at http://emedicine.medscape.com/article/335414-overview through http://emedicine.medscape.com. Accessed August 2009.

(Updated 2008 September). Renal Function Markers - Kidney Disease. ARUP Consult [On-line information]. Available online at http://www.arupconsult.com/Topics/RenalDz/RenalFunctionMarkers.html?client_ID=LTD through http://www.arupconsult.com. Accessed August 2009.

(© 1995–2009). Overview: Beta-2 Microglobulin (B[2]-M), Urine. Mayo Clinic Mayo Medical Laboratories [On-line information]. Available online at http://www.mayomedicallaboratories.com/test-catalog/Overview/300243 through http://www.mayomedicallaboratories.com. Accessed August 2009.

(© 1995–2009). Overview: Beta-2-Microglobulin (Beta-2-M), Serum. Mayo Clinic Mayo Medical Laboratories [On-line information]. Available online at http://www.mayomedicallaboratories.com/test-catalog/Overview/9234 through http://www.mayomedicallaboratories.com. Accessed August 2009.

(2006 May). Amyloidosis and Kidney Disease. National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse [On-line information]. Available online at http://kidney.niddk.nih.gov/kudiseases/pubs/amyloidosis/ through http://kidney.niddk.nih.gov. Accessed August 2009.