Nome formal
Chlamydia trachomatis
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
22 de Abril de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Triagem e diagnóstico de infecção por clamídia

Quando fazer este exame?

Triagem: pode ser recomendada para pessoas sexualmente ativas, grávidas ou que pretendem engravidar, ou com risco aumentado de doenças transmitidas sexualmente.

Diagnóstico: pessoas com sintomas de doenças transmitidas sexualmente, como mulheres com corrimento vaginal e dor abdominal, homens com corrimento no pênis e dor durante a micção, ou recém-nascidos com conjuntivite.

Amostra:

Um suabe de células ou de secreção da área infectada ou uma amostra de primeiro jato de urina.

É necessária alguma preparação?

Fale com o médico sobre o uso de antibióticos. Mulheres devem informar sobre aplicação de duchas ou cremes vaginais nas 24 horas antes da colheita, porque podem afetar os resultados. Siga outras instruções dadas.

O que está sendo pesquisado?

Esse exame pesquisa evidências de infecção pela bactéria Chlamydia trachomatis, que é a doença transmitida sexualmente mais comum no Brasil e em outros países. A Organização Mundial de Saúde calcula que 1,9 milhão de brasileiros são infectados por clamídia todos os anos, e observa que mulheres com frequência são reinfectadas quando seus parceiros não são tratados. A incidência real pode ser maior, porque muitas pessoas não apresentam sintomas e não são diagnosticadas nem relatadas. O diagnóstico e o tratamento de infecção por clamídia é muito importante para evitar complicações a longo prazo e transmissão da infecção para outras pessoas.

A clamídia é transmitida em geral por contato sexual (oral, vaginal ou anal) com uma pessoa infectada. Os fatores de risco incluem múltiplos parceiros sexuais, coinfecção ou infecção anterior com outra doença transmitida sexualmente e falta de proteção persistente com preservativos. Mães infectadas podem transmitir clamídia para os bebês durante o parto, e os bebês infectados podem apresentar conjuntivite, com risco de prejudicar a visão, e pneumonia.

Cerca de 75% das mulheres e 50% dos homens infectados não apresentam sintomas ou têm sintomas brandos. Em mulheres, os mais comuns incluem sangramento vaginal fora do período menstrual ou após relações sexuais, dor abdominal, dor com relações sexuais e corrimento vaginal. Em homens, são frequentes corrimento peniano e inflamação da próstata (prostatite). Os dois sexos podem apresentar micção frequente e dolorosa, prurido e inflamação retal (proctite), e conjuntivite.

A infecção por clamídia é tratada facilmente com antibióticos. Se não for tratada, em mulheres pode provocar doença inflamatória pélvica, com disseminação da infecção do colo uterino para as trompas e os ovários, que pode resultar em infertilidade, gravidez tubária e complicações do parto, como sangramento excessivo e rompimento prematuro das membranas. Em homens, a infecção prolongada pode também resultar em infertilidade.

Como a amostra é obtida para o exame?

O médico pode colher um suabe de células e secreções da área infectada, como uretra, pênis, ânus, garganta, vagina ou colo uterino. Algumas vezes, a paciente pode colher material da própria vagina. Também pode ser pedida uma amostra de primeiro jato de urina.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Fale com o médico sobre o uso de antibióticos. Mulheres devem informar sobre aplicação de duchas ou cremes vaginais nas 24 horas antes da colheita, porque podem afetar os resultados. Siga outras instruções dadas

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    Exames para pesquisa de clamídia são feitos para:

    1. Diagnóstico da causa de sintomas.
    2. Triagem de pessoas ativas sexualmente.
    3. Documentação de pessoas que sofreram abusos sexuais.

    Exames para clamídia e gonorreia em geral são feitos juntos porque as duas infecções causam sintomas semelhantes. A distinção entre as duas bactérias é importante, porque elas são tratadas com antibióticos diferentes.

    Prefere-se usar técnicas de amplificação de ácidos nucleicos (reação em cadeia de polimerase - PCR) porque são mais sensíveis e específicas, e podem ser feitas em amostras de urina de homens e mulheres.

    Outras técnicas incluem imunofluorescência direta, cultura de clamídia e pesquisa de antígenos de clamídia (ELISA, EIA). A pesquisa de DNA de clamídia por hibridização também usa técnicas moleculares, mas é menos sensível que a reação em cadeia de polimerase.

    As autoridades recomendam, em geral, a pesquisa de clamídia e de gonorreia em pessoas que sofreram abusos sexuais. Entretanto, as técnicas usadas devem estar de acordo com a legislação local.

  • Quando o exame é pedido?

    O medico pode pedir a pesquisa de clamídia em pessoas que apresentam sintomas como corrimento vaginal e dor abdominal (em mulheres), ou secreção peniana e dor durante a micção (em homens). Entretanto, como muitas pessoas infectadas não possuem sintomas, diversas autoridades publicaram recomendações de triagem.

    De um modo geral, é recomendada a triagem anual de todas as mulheres sexualmente ativas até 25 anos de idade, e aquelas com fatores de risco após essa idade. Não há recomendações para homens heterossexuais, mas homossexuais devem ser testados anualmente. Evidentemente, todos os parceiros sexuais de pessoas contaminadas devem ser examinados e tratados.

    Fatores de risco de clamídia:

    • Infecção anterior por clamídia.
    • Outras doenças transmitidas sexualmente, incluindo HIV.
    • Parceiros sexuais múltiplos.
    • Uso inconsistente de preservativos.
    • Trabalhadores de sexo comercial.
    • Usuários de drogas ilícitas.
    • Relações sexuais no início da adolescência.
    • Presidiários.
    • Homens que fazem sexo com outros homens.

    É recomendada a triagem de mulheres grávidas com 25 anos de idade ou menos na primeira visita pré-natal e no terceiro trimestre, ou quando há um risco aumentado de infecção. Grávidas infectadas devem ser tratadas, e o exame precisa ser repetido em 3 a 6 meses, de preferência no terceiro trimestre (veja Triagens na gravidez e no pré-natal)

    Clamídia e gonorreia devem ser pesquisadas em recém-nascidos com conjuntivite.

  • What does the test result mean?

    Resultado positivo indica infecção ativa que requer tratamento com antibióticos.

    Resultado negativo significa que não há evidência de doença no momento do exame. Pessoas com risco aumentado de infecção devem fazer exames regularmente para verificar uma possível exposição. A reinfecção é comum, especialmente em adolescentes.

    Parceiros de pessoas infectadas também devem ser examinados e tratados.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Pessoas infectadas têm um risco aumentado de desenvolver outras doenças transmitidas sexualmente, incluindo HIV.

  • Quanto tempo demoram os resultados?

    Depende do método usado. Uma cultura demora 5 a 7 dias. Outros métodos podem produzir resultados em um dia.

  • Como a infecção por clamídia pode ser evitada?

    O modo mais confiável de evitar uma infecção por clamídia ou qualquer doença transmitida sexualmente é não ter contato sexual oral, vaginal e anal, ou manter uma relação monogâmica (somente com o mesmo parceiro) com uma pessoa não infectada. Quem é sexualmente ativo deve usar sempre preservativos para reduzir o risco de clamídia e de outras doenças transmitidas sexualmente.

View Sources

Fontes usadas na versão atual

Planned Parenthood. Chlamydia. Available online at http://www.plannedparenthood.org/health-topics/stds-hiv-safer-sex/chlamydia-4266.htm through http://www.plannedparenthood.org. Accessed February 2009.

Centers for Disease Control and Prevention. Chlamydia - CDC Fact Sheet. Available online at http://www.cdc.gov/std/Chlamydia/STDFact-Chlamydia.htm through http://www.cdc.gov. Accessed February 2009.

TeensHealth. Chlamydia. Available online at http://kidshealth.org/teen/sexual_health/stds/std_chlamydia.html through http://kidshealth.org. Accessed February 2009.

ARUP Consult. Sexually Transmitted Infections, Bacteria. Available online at http://www.arupconsult.com/Topics/InfectiousDz/Bacteria/STIs.html# through http://www.arupconsult.com. Accessed February 2009.

WebMD. Chlamydia Tests. Available online at http://www.webmd.com/sexual-conditions/chlamydia-tests through http://www.webmd.com. Accessed February 2009.

Fontes usadas em versões anteriores

Centers for Disease Control and Prevention. Chlamydia Fact Sheet. Available online at http://www.cdc.gov/std/Chlamydia/STDFact-Chlamydia.htm through http://www.cdc.gov.

Arnot Ogden Medical Center. Chlamydia. Available online at http://www.aomc.org/chlamydia.html through http://www.aomc.org.

American Social Health Association. Learn Chlamydia Facts. Available online at http://www.ashastd.org/learn/learn_chlamydia_facts.cfm through http://www.ashastd.org.

Centers for Disease Control and Prevention. Sexually transitted diseases treatment guidelines 2002. MMWR 2002;51 (No. RR-6) [32-41].