Também conhecido como
Teste de Coombs direto
Coombs direto
Nome formal
Teste direto de antiglobulina
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
19 de Junho de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para o diagnóstico de anemia hemolítica causada por uma doença autoimune ou induzida por medicamentos, investigar uma reação transfusional ou diagnosticar anemia hemolítica do recém-nascido.

Quando fazer este exame?

Quando a pessoa tem sintomas sugestivos de anemia hemolítica, como cansaço incomum, falta de ar e icterícia, ou quando a hemoglobina e o hematócrito caem subitamente, podendo ocorrer após transfusão de sangue, ou quando um recém-nascido mostra sinais de anemia hemolítica.

Amostra:

Uma amostra de sangue obtida de uma veia do braço.

É necessária alguma preparação?

Nenhuma

O que está sendo pesquisado?

O teste direto de antiglobulina (teste de Coombs direto) pesquisa anticorpos ligados às hemácias. Estas têm estruturas em sua superfície chamadas antígenos. Cada pessoa possui um conjunto individual de antígenos herdados dos pais. Os dois principais antígenos da superfície das hemácias são os antígenos A e B, e o sangue é classificado de acordo com sua presença ou ausência. Outro antígeno importante é o fator Rh, também chamado antígeno D. Se ele estiver presente nas hemácias, o sangue é Rh positivo; se estiver ausente, o sangue é Rh negativo. Existem muitos outros tipos de antígenos nas hemácias, que formam grupos menos conhecidos, como Kell, Lewis e Kidd. Para mais detalhes, veja o artigo sobre Grupos sanguíneos.

Existem diversas razões para ligação de anticorpos aos antígenos das hemácias:

Anemia hemolítica autoimune
Algumas pessoas formam anticorpos contra suas próprias hemácias. Esses autoanticorpos podem ser produzidos em doenças autoimunes e em outras como linfomas e anemia linfoide crônica. Algumas vezes, medicamentos revestem a superfície das hemácias, provocando a formação de anticorpos contra elas.

Incompatibilidade materno-fetal
Um bebê pode herdar antígenos do pai que não existem nas hemácias maternas. A mãe pode ser exposta a esses antígenos nas células fetais durante a gravidez ou no parto, quando algumas hemácias fetais passam para a circulação materna após a separação da placenta. A mãe pode produzir anticorpos contra esses antígenos e provocar anemia hemolítica do recém-nascido, que, em geral, não afeta o primeiro filho mas afeta os seguintes, quando anticorpos formados pela mãe atravessam a placenta e destroem as hemácias do bebê. Um teste direto de antiglobulina determina se há anticorpos ligados às hemácias do bebê.

Após uma transfusão de sangue
Antes de uma pessoa receber transfusão de sangue, seus grupos sanguíneos ABO e Rh são comparados com os do doador para evitar uma reação transfusional grave. O sangue do doador deve ter os mesmos antígenos ABO e Rh do sangue do receptor para que anticorpos do receptor não destruam as hemácias transfundidas. Entretanto, o receptor pode produzir anticorpos contra outros antígenos não testados, como os grupos sanguíneos Kell ou Kidd, e esses anticorpos podem se ligar às hemácias transfundidas, destruindo-as. Pessoas que recebem muitas transfusões de sangue têm maior probabilidade de formarem anticorpos porque são expostas a um número maior de antígenos. O teste direto de antiglobulina verifica se há anticorpos ligados às hemácias transfundidas.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de sangue é obtida inserindo uma agulha em uma veia do braço.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Nenhuma preparação é necessária.
Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    O teste direto de antiglobulina é usado principalmente para determinar se uma anemia hemolítica (tipo de anemia causado por destruição das hemácias) é provocada por anticorpos ligados a elas. Isso pode ocorrer em anemias hemolíticas autoimunes, em que a pessoa produz anticorpos contra suas próprias hemácias. Anemia hemolítica autoimune pode ocorrer em doenças autoimunes como lúpus eritematoso sistêmico, em doenças malignas, como linfomas e leucemia linfoide crônica, após infecções, como pneumonia por Mycoplasma e mononucleose e após o uso de certos medicamentos, como penicilina.

    O teste direto de antiglobulina também pode ser usado no diagnóstico de anemia hemolítica do recém-nascido, resultado da incompatibilidade de grupos sanguíneos entre a mãe e o bebê. Esta era uma causa frequente de anemia hemolítica em recém-nascidos, mas hoje é rara devido ao tratamento da mãe durante e após cada gravidez. A incompatibilidade mais frequente entre mãe e bebê é do grupo ABO, especialmente em mães do grupo O.

    O teste direto de antiglobulina também é usado no diagnóstico de reações transfusionais. Quando há suspeita de reação transfusional hemolítica, o teste é feito para determinar se há anticorpos nas hemácias transfundidas. Hemácias revestidas com anticorpos são destruídas ou removidas da circulação com maior rapidez que as hemácias normais.

  • Quando o exame é pedido?

    O teste direto de antiglobulina é pedido quando a pessoa apresenta sintomas sugestivos de anemia hemolítica, como:

    • Fadiga
    • Urina escura
    • Dor nas costas
    • Icterícia
    • Palidez
    • Aumento do baço

    Pode ser feito também quando um recém-nascido mostra sinais de anemia hemolítica do recém-nascido, incluindo:

    • Palidez
    • Icterícia
    • Aumento do fígado e do baço
    • Edema em todo o corpo
    • Dificuldade respiratória

    Outra razão para o pedido são sinais e sintomas de reação transfusional, como:

    • Febre, calafrios
    • Erupção cutânea
    • Dor nas costas
    • Urina com sangue
    • Desmaios ou tonturas
  • O que significa o resultado do exame?

    Se um teste direto de antiglobulina é positivo, significa que há anticorpos ligados às hemácias. Em geral, quanto maior é a reação (e mais positivio é o teste), maior é quantidade de anticorpos na superfície das hemácias. O teste detecta a presença de anticorpos, mas não revela a causa ou o tipo específico de anticorpo. É preciso uma história clínica e um exame clínico para determinar se um teste direto de antiglobulina positivo é devido a uma reação transfusional, reação autoimune, infecção, medicamento ou à incompatibilidade materno-fetal. Uma pequena parte da população pode ter um teste direto de antiglobulina positivo sem apresentar anemia hemolítica.

    Se o teste for negativo, não há anticorpos ligados as hemácias, e os sinais e sintomas têm outra causa.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Se um teste direto de antiglobulina for positivo devido a uma reação transfusional, infecção ou medicamento, ele permanece positivo de 48 horas a 3 meses. Se for resultado de uma reação autoimune, permanece positivo por muito tempo.

  • Posso adquirir anticorpos doando sangue?

    Não. O doador não é exposto a sangue de outra pessoa durante a doação.

  • Preciso comunicar ao médico uma transfusão de sangue anterior sem complicações?

    Sim. É importante que o médico tenha essa informação porque há uma possibilidade de sensibilização a um ou mais antígenos em qualquer transfusão. Apesar de isso não afetar a saúde, o médico ficará mais atento no caso de transfusões futuras.

  • Se a mãe apresenta incompatibilidade de Rh com um filho, isso ocorrerá com todos os filhos seguintes?

    Depende do grupo Rh de cada filho. Quando a mãe é Rh negativa, pode desenvolver anticorpos contra hemácias do primeiro filho Rh positivo. Os filhos Rh positivos seguintes podem ser afetados por esses anticorpos anti-Rh da mãe. Felizmente, hoje isso é raro, porque as mães Rh negativas são testadas durante e após cada gravidez, e tomam injeções de imunoglobulina anti-Rh para evitar o desenvolvimento de anticorpos anti-Rh. O acompanhamento pré-natal é fundamental para que isso seja feito em todas mulheres Rh-negativas que tenham bebês Rh-positivos, mas isso ainda não é realidade no Brasil.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

 

Fontes usadas na revisão atual

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (© 2007). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.pp 307-308.

Wu, A. (2006).  Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, Fourth Edition. Saunders Elsevier, St. Louis, Missouri. Pp 126-129.

Cutler, C. (2006 September 11, Updated). Coombs’ test. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003344.htm . Accessed on 10/01/08.

Sandler, S.G. and Johnson, V. (2008 September 25, Updated). Transfusion Reactions. EMedicine [On-line information]. Available online at http://www.emedicine.com/med/TOPIC2297.HTM through http://www.emedicine.com Accessed on 10/01/08.

Wagle, S. and Deshpande, P. (2008 September 2, Updated). Hemolytic Disease of the Newborn. eMedicine [On-line information]. Available online at http://www.emedicine.com/ped/TOPIC959.HTM through http://www.emedicine.com. Accessed on:  10/01/08.

Direct Antiglobulin Test (DAT) Information Sheet. United Blood Services [On-line information]. PDF available for download at http://www.unitedbloodservices.org/forms/BS_950.pdf through http://www.unitedbloodservices.org. Accessed on 10/01/08.

(2005 November, Revised). Autoimmune Hemolytic Anemia. Merck Manual for Healthcare Professionals [On-line information]. Available online at http://www.merck.com/mmpe/print/sec11/ch131/ch131b.html through http://www.merck.com. Accessed on 10/01/08.

(© 2008) Hemolytic Disease of the Newborn. Lucille Packard Children’s Hospital at Stanford. Available online at http://www.lpch.org/DiseaseHealthInfo/HealthLibrary/hrnewborn/hdn.html through http://www.lpch.org. Accessed October 2008.

Fontes usadas em revisões anteriores

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pgs 286-289.

Dhaliwal, G. et. al. (2004 June 1). Hemolytic Anemia. American Family Physician [On-line journal]. Available online at http://www.aafp.org/afp/20040601/2599.html through http://www.aafp.org.

Triulzi, D. (2000 October). Indirect and Direct Antiglobulin (Coombs) Testing and the Crossmatch. Transfusion Medicine Update [On-line information]. Available online at http://www.itxm.org/TMU2000/tmu10-2000.htm through http://www.itxm.org

Grund, S., Updated (2004 August 16, Updated). Coombs’ test – direct. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003344.htm.

Grund, S., Updated (2004 August 16, Updated). Coombs’ test – indirect. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003343.htm.

(2001 March).Rh Disease. March of Dimes Fact Sheet [On-line information]. Available online at http://www.marchofdimes.com/professionals/681_1220.asp through http://www.marchofdimes.com/.

(1995-2005). Autoimmune Hemolytic Anemia. The Merck Manual of Diagnosis and Therapy. Anemias Caused By Excessive Hemolysis. [On-line information]. Available online at http://www.merck.com/mrkshared/mmanual/section11/chapter127/127d.jsp through http://www.merck.com.

Suzanne H. Butch, MA, CLDir. Chief Technologist. Blood Bank and Transfusion Service. University of Michigan Hospitals and Health Centers, Ann Arbor, Michigan.

Julie Brownie MBA, CLS(NCA), SBB(ASCP). Coral Blood Services. Bangor, Maine.