Também conhecido como
Anti-HCV
Imunoblot para HCV
Carga viral do HCV
Genotipagem do HCV
Nome formal
Hepatite C
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em 24 de Junho de 2019.
Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    Os exames para hepatite B são usados para diagnosticar a infecção e monitorar o tratamento, em pessoas que:

    Os exames a seguir são utilizados para pesquisar infecção pelo vírus da hepatite C (HCV):

    • A pesquisa de anticorpos anti-HCV (ELISA) indica exposição ao vírus, mas não distingue doença ativa e contato anterior com o vírus. Exames positivos fracos podem ser falsos positivos, e devem ser confirmados pelo imunoblot.
    • Imunoblot para HCV (Western blot, RIBA) é realizado para esclarecer resultados inconclusivos da pesquisa de anticorpos por ELISA. Em alguns casos, a indefinição permanece. Como o anterior, esse exame não distingue doença ativa e contato anterior com o vírus.

    Os exames abaixo são realizados para diagnosticar infecção atual e para orientar e monitorar o tratamento:

    • A carga viral do HCV pesquisa ou mede a quantidade de RNA do HCV no sangue. São empregadas técnicas qualitativas para diferenciar infecção atual de infecção passada. Técnicas quantitativas são usadas para monitorar a eficácia do tratamento. Este, quando bem-sucedido, torna o vírus indetectável.
    • A genotipagem do HCV é usada para determinar a cepa do vírus que está infectando o paciente. Há seis genótipos principais identificados, com respostas diferentes aos diversos tratamentos existentes. Alguns genótipos precisam de tratamento mais longo que outros.
  • Quando o exame é pedido?

    A pesquisa de HCV é recomendada nos seguintes casos:

    • Usuários de drogas injetáveis
    • Pessoas que receberam transfusões ou transplantes de órgãos antes de 1992*
    • Pessoas que receberam concentrados de fatores da coagulação antes de 1987
    • Pessoas submetidas alguma vez a hemodiálise prolongada
    • Filhos de mães positivas para HCV
    • Pessoas que sofreram acidentes com agulhas ou outros instrumentos contaminados com sangue positivo para HCV
    • Pessoas com evidências de doença hepática

    * Anticorpos anti-HCV são pesquisados em todas as doações de sangue desde 1992, e todo sangue com resultado positivo é rejeitado. O risco atual de infecção pelo HCV com transfusão de sangue é de cerca de um caso em dois milhões de unidades transfundidas.

  • O que significa o resultado do exame?

    A interpretação dos exames é mostrada na tabela abaixo:

    Anti-HCV Imunoblot Carga viral Interpretação
    Negativo     Não há infecção, ou a infecção está no período de incubação
    Positivo Negativo   Anti-HIV falso positivo; não há infecção
    Positivo Positivo Negativa Infecção passada
    Positivo ou indeterminado Positivo ou indeterminado Positiva Infecção atual

    A carga viral é usada para monitorar o tratamento. O tratamento eficaz provoca uma queda progressiva da carga viral, que permanece indetectável após a suspensão dos medicamentos.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Os anticorpos anti-HCV só são detectáveis algumas semanas após o contágio, e permanecem nos estágios mais avançados da doença.

    Cerca de 25% das pessoas contaminadas com HIV têm também infecção pelo HCV, com risco de doença hepática de progressão acelerada.

  • Se a doença é branda, porque fazer os exames?

    A infecção com o vírus da hepatite C (HCV) com frequência progride para hepatite crônica, que pode resultar em cirrose hepática e câncer de fígado (carcinoma hepatocelular). A detecção precoce permite um acompanhamento detalhado e o tratamento da infecção crônica.

  • Existem outros exames para acompanhar a doença?

    Sim. Exames como aspartato aminotransferase (ALT) e alanina aminotransferase (AST) são usados para acompanhar a lesão hepática. Quando mostram resultados normais, as pessoas ainda infectadas provavelmente não precisam de tratamento. Podem ser realizados outros exames, como albumina, tempo de protrombina e bilirrubinas para avaliar a função hepática. Algumas vezes, é feita uma biópsia hepática para determinar a extensão da lesão do fígado.

  • Existe vacina contra a hepatite C?

    Ainda não existe uma vacina eficaz, mas há várias em desenvolvimento.

  • Após a recuperação, pode haver uma nova infecção?

    Sim. A infecção pelo HCV não dá proteção contra uma nova infecção. O vírus se altera constantemente, dificultando o desenvolvimento de uma imunidade permanente.

  • A infecção pelo HCV tem tratamento?

    Sim. Os medicamentos mais utilizados são interferon e ribavirina. Dependendo da idade e do sexo da pessoa, e do genótipo do vírus e da carga viral, a probabilidade de cura pode chegar a 80%.

     

  • Como posso saber se tenho risco de contaminar outras pessoas?

    Se a pessoa tem RNA do HCV detectável no sangue, pode transmitir a infecção. A hepatite C é transmitida exclusivamente por sangue contaminado. Devem ser evitadas situações em que possa haver troca de sangue, como compartilhamento de agulhas ou outros instrumentos perfurantes ou cortantes, usados para injeções ou outras atividades, como procedimentos médicos, piercings ou tatuagens, ou atividades esportivas ou sexuais violentas.