Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em 30 de Novembro de 2019.
Accordion Title
Sobre Doenças Cardíacas
  • Exames

    Os objetivos dos exames em doenças cardíacas são detectar sua presença, distinguir diferentes doenças cardíacas e determinar a gravidade da doença presente.

    Emergências, como síndrome coronariana aguda, são avaliadas com exames laboratoriais e não laboratoriais para diagnóstico e tratamento rápidos.

    As doenças cardíacas com poucos sintomas podem ser percebidas em uma consulta médica de rotina por causa de sintomas inespecíficos, como fadiga. O médico pede diversos exames para investigar esses sintomas. O diagnóstico nesses casos exige tempo e paciência.

    Os exames para avaliar doenças cardíacas são diferentes daqueles para avaliação de risco cardíaco, que determinam o risco de doença coronariana. A avaliação de risco é usada para triagem e orientação de pessoas assintomáticas.

    Exames laboratoriais
    Marcadores cardíacos, proteínas liberadas quando há lesão muscular, são exames que podem ser realizados quando há sinais de síndrome coronariana aguda, como dor torácica com irradiação para mandíbula, pescoço, abdome, costas, ombro ou braço esquerdos, náuseas, dispneia e tonteiras.

    Os principais marcadores são:

    • Troponina - Eleva-se em poucas horas após a lesão e permanece elevada por até duas semanas
    • CK-MB – Uma forma da enzima creatina quinase, encontrada principalmente no músculo cardíaco
    • Mioglobina – É liberada quando há lesão muscular
    • BNP e NT-proBNP – São liberados em resposta a insuficiência cardíaca. Níveis elevados indicam insuficiência cardíaca em pessoas com síndrome coronariana aguda ou com outros problemas cardíacos

    Também podem ser realizados alguns exames mais gerais:

    Outras avaliações
    Diversas avaliações e exames são usados para invesetigar dor torácica ou outros sintomas, como:

    • História clínica, incluindo fatores de risco como idade, doença arterial coronariana, diabetes e fumo
    • Exame físico
    • Eletrocardiograma, que avalia a atividade elétrica e o ritmo do coração
    • Ecocardiograma – Imagens do coração usando ultrassom

    Com base nos resultados dessas avaliações podem ser necessários outros procedimentos:

    • Prova de esforço
    • Radiografias do tórax
    • Tomografia computadorizada
    • Monitoração continua do eletrocardiograma (Holter)
    • Cintilografia cardíaca
    • Cateterismo – Um tubo fino é inserido por uma artéria ou veia até o coração, para avaliar as pressões e os fluxos intracardíacos e coronarianos
    • Angiografia coronariana – Visualização radiológica das artérias coronárias usando contraste durante o cateterismo
    • Teste de inclinação ortostática – Para avaliação de síncopes
  • Tratamentos

    Doenças agudas, como infarto do miocárdio, exigem tratamento médico imediato para minimizar lesões. No caso de doenças crônicas, o médico pode recomendar mudanças na dieta, perda de peso excessivo, exercícios sob supervisão, controle do estresse e suspensão do fumo.

    Hipertensão arterial e diabetes precisam de controle para evitar seus efeitos sobre o coração. A insuficiência cardíaca é tratada com restrição de sódio e diuréticos, para reduzir o acúmulo de líquido, e de medicamentos para melhorar a função cardíaca, como digoxina. As infecções são tratadas com antimicrobianos (antibióticos).

    Pode ser necessário realizar cirugias para desbloquear artérias, substituir valvas defeituosas e corrigir anormalidades congênitas.

    Continuam a ser desenvolvidos novos medicamentos, orientações e procedimentos. O paciente deve conversar com seu médico sobre as melhores opções de tratamento de seus problemas.