Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
02 de Dezembro de 2017.
Resumo

Acidose e alcalose são estados anormais resultantes de excesso de ácidos ou de bases no sangue. O pH normal do sangue deve ser mantido dentro de uma faixa estreita (7,35-7,45) para o funcionamento adequado dos processos metabólicos e para a liberação de quantidades corretas de oxigênio nos tecidos. Acidose é um excesso de ácido no sangue, com pH abaixo de 7,35, e alcalose é um excesso de base no sangue, com pH acima de 7,45. Muitos distúrbios e doenças podem interferir no controle do pH do sangue, causando acidose ou alcalose.

O metabolismo gera grandes quantidades de ácidos que precisam ser neutralizados ou eliminados para manter o equilíbrio ácido-base. A maior parte é constituída por ácido carbônico, formado pela reação entre dióxido de carbono (CO2) e água. São produzidos também, em menor quantidade, ácido lático, cetoácidos e outros ácidos orgânicos.

Pulmões e rins são os principais órgãos envolvidos na regulação do pH do sangue. Os pulmões retiram ácido do corpo eliminando CO2. Variações da frequência respiratória mudam a quantidade de CO2 expirado e podem alterar o pH do sangue em segundos ou em minutos. Os rins excretam ácidos na urina e regulam a concentração de bicarbonato (HCO3-), uma base, no sangue. Alterações de pH devidos a aumento ou diminuição do HCO3- no sangue ocorrem mais devagar que alterações do CO2, e podem demorar horas ou dias. Os dois processos estão sempre em ação e mantêm um controle estrito do pH sanguíneo.

Sistemas tampões, que resistem a alterações do pH, também contribuem para a regulação. Os principais tampões no sangue são a hemoglobina (nas hemácias), as proteínas plasmáticas, os bicarbonatos e os fosfatos.

As quantidades absolutas de ácidos e de bases têm importância menor que o equilíbrio entre elas na manutenção do pH (veja Figura 1, abaixo). Acidose ocorre quando o pH cai abaixo de 7,35, e pode ser causada pelo aumento da produção ou diminuição da excreção de ácidos, ou aumento da excreção de bases. Alcalose ocorre quando o pH ultrapassa 7,45, e pode ser provocada pela perda de ácidos com vômitos prolongados ou desidratação, administração venosa ou ingestão de bases, ou hiperventilação (por aumento da eliminação de ácido sob a forma de CO2). Qualquer doença ou problema que afete os pulmões, os rins ou o metabolismo pode causar acidose ou alcalose. O equilíbrio normal entre ácidos e bases é representado na Figura 1.

 

Illstration of Acid-Base Balance

Figura 1: Torneiras e drenos

Pontos importantes:

  • O pH normal no sangue está entre 7,35 e 7,45.
  • O corpo procura o equilíbrio constante entre ácidos e bases ingeridos ou produzidos (torneira aberta) e ácidos e bases eliminados (dreno aberto).
  • Desequilíbrios causam acidose (excesso no tanque de ácidos) ou alcalose (excesso no tanque de bases).
  • O equilíbrio pode ser restaurado aumentando a eliminação (drenagem mais rápida) e/ou diminuindo o fluxo de entrada (fechando a torneira).

Os distúrbios ácido-base dividem-se em duas categorias:

  • Os resultantes de alterações da concentração de CO2 no sangue são chamados acidose respiratória (pH baixo) e alcalose respiratória (pH alto). Distúrbios ácido-base respiratórios são resultantes de doenças pulmonares ou problemas que afetam a respiração.
  • Os distúrbios que têm influência na concentração de HCO3- são chamados acidose metabólica (pH baixo) e alcalose metabólica (pH alto). Distúrbios ácido-base metabólicos podem ser causados por doenças renais, alterações eletrolíticas, vômitos ou diarreia intensos, ingestão de algumas substâncias ou doenças que afetam o metabolismo, como diabetes.
Accordion Title
Sobre Acidose e alcalose
  • Sintomas e causas comuns

    Sintomas

    A acidose pode não causar nenhum sintoma ou pode estar associada a sintomas inespecíficos, como fadiga, náuseas e vômitos. Acidose aguda pode causar também aumento da frequência e da profundidade da respiração, confusão, cefaleia e, em casos extremos, convulsões, coma e morte. Os sintomas de alcalose em geral são resultantes de perda de potássio (K+) e podem incluir irritabilidade, fraqueza e contraturas musculares.

     

    Causas comuns de distúrbios ácido-base

    Acidose respiratória
    Eliminação de CO2 reduzida

    • Diminuição da frequência respiratória por medicamentos ou distúrbios do sistema nervoso central;
    • Respiração prejudicada por dificuldade dos movimentos respiratórios causada, por exemplo, por traumatismo ou pela presença de ar entre os pulmões e a parede torácica (pneumotórax);
    • Doença nervosa ou muscular afetando os músculos respiratórios (miastenia grave, botulismo, esclerose amiotrófica lateral, síndrome de Guillain-Barré);
    • Obstrução das vias aéreas (alimentos ou corpos estranhos);
    • Doença pulmonar.

    Alcalose respiratória
    Aumento da eliminação de CO2

    • Hiperventilação resultante de ansiedade, dor, choque;
    • Medicamentos (aspirina);
    • Pneumonia, congestão ou embolia pulmonar;
    • Exercício, febre;
    • Tumor, traumatismo ou infecção (meningite, encefalite) do sistema nervoso central;
    • Insuficiência hepática.

    Acidose metabólica
    Diminuição de HCO3-; ou acúmulo de ácido

    • Cetoacidose alcoólica;
    • Cetoacidose diabética;
    • Insuficiência renal;
    • Acidose láctica;
    • Envenenamentos – dose excessiva de salicilatos (aspirina), metanol, etilenoglicol;
    • Perda gastrointestinal de bicarbonato, como em diarreias prolongadas.

    Alcalose metabólica
    Aumento do HCO3- ou perda de ácido

    • Diuréticos;
    • Vômitos prolongados;
    • Desidratação grave;
    • Administração de bicarbonato, ingestão de álcalis.
  • Exames

    O objetivo dos exames é identificar se há um distúrbio ácido-base, determinar sua gravidade e diagnosticar doenças ou problemas subjacentes (como Cetoacidose diabética ou a ingestão de um veneno) que possam ter causado o distúrbio ácido-base. Exames são usados também para monitorar pessoas em estado crítico ou que tenham problemas que podem alterar o equilíbrio ácido-base, como doenças pulmonares ou doenças renais.

    Os principais exames para identificar, avaliar e monitorar distúrbios ácido-base são:

    .A gasometria é um grupo de exames feitos em conjunto, em geral em uma amostra de sangue arterial (obtido de uma artéria em vez de uma veia). São determinados no sangue pH, pO2 (quantidade de oxigênio) e pCO2 (quantidade de dióxido de carbono). A partir desses dados, pode ser calculada a quantidade de bicarbonato (HCO3-).

    Na maioria dos distúrbios ácido-base, o HCO3- e a pCO2 estão fora da faixa de referência. Isso ocorre porque o organismo tenta manter o pH próximo do normal. Se uma dessas substâncias estiver acima ou abaixo do normal, a outra se altera na mesma direção para compensar a mudança e manter o pH normal. A tabela abaixo mostra os valores esperados nos quatro principais distúrbios ácido-base.

    Resultados observados nos quatro principais distúrbios ácido-base:

    Distúrbio pH HCO3- PCO2 Compensação
    Acidose metabólica Baixo Muito baixo  Baixo Aumento da frequência respiratória (hiperventilação), aumentando a eliminação de CO2
    Alcalose metabólica Alto Muito alto  Alto  Diminuição da frequência respiratória (hipoventilação), diminuindo a eliminação de CO2
    Acidose respiratória Baixo Alto  Muito alto Os rins aumentam a retenção de HCO3- e a excreção de ácido
    Alcalose respiratória Alto Baixo  Muito baixo  Os rins diminuem a retenção de HCO3- e a excreção de ácido

    Eletrólitos são um grupo de quatro exames: Na+ (sódio), K+ (potássio), Cl (cloretos) e bicarbonato (HCO3-, em geral medido como conteúdo de CO2). As concentrações de eletrólitos e o equilíbrio ácido-base são interligados, e um ou mais eletrólitos costumam se alterar nos distúrbios ácido-base metabólicos. Em pacientes com acidose metabólica, calcula-se o anion gap (intervalo aniônico) usando os resultados dos eletrólitos para determinar os distúrbios responsáveis pela alteração ácido-base. Por exemplo, um aumento do anion gap pode indicar acidose diabética. (Veja mais sobre anion gap no artigo sobre eletrólitos). Pacientes com alcalose metabólica em geral têm valores baixos de cloretos e potássio, o que também fornece orientações sobre a causa do distúrbio ácido-base. Com base nesses resultados, podem ser pedidos outros exames para esclarecer a causa da acidose ou da alcalose (por exemplo, glicose, lactato, cetonas, osmolalidade, metanol, etilenoglicol).

    É possível que uma pessoa tenha mais de um distúrbio ácido-base no mesmo momento. Exemplos são ingestão excessiva de aspirina, que pode produzir alcalose respiratória e acidose metabólica, e pacientes com doenças pulmonares que usam diuréticos, que podem apresentar acidose respiratória e alcalose metabólica. O uso de fórmulas de cálculo do grau de compensação esperado permite determinar a ocorrência de distúrbios ácido-base mistos.

  • Tratamento

    O tratamento de acidose ou de alcalose envolve a identificação das causas do desequilíbrio e o apoio adequado para a pessoa afetada. Na maioria dos casos, o distúrbio ácido-base não é tratado diretamente. Entretanto, em alguns casos pode ser usado bicarbonato intravenoso em pessoas com acidose grave.

Fontes do artigo

NOTA: Esse artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online  Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido à revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

Fontes usadas na revisão atual

Pagana, K. D. & Pagana, T. J. (© 2007). Mosby's Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp 117-125.

Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (© 2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry: AACC Press, Washington, DC. Pp 319-329.

(Updated 2007 November 12). Acidosis. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/001181.htm. Accessed August 2009.

(Updated 2007 November 12). Alkalosis. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/001183.htm. Accessed August 2009.

Lewis, J. (Revised 2008 July) Metabolic Acidosis. Merck Manual for Healthcare Professionals [On-line information]. Available online at http://www.merck.com/mmpe/sec12/ch157/ch157c.html?qt=Acidosis&alt=sh through http://www.merck.com. Accessed August 2009.

Lewis, J. (Revised 2008 July) Metabolic Alkalosis. Merck Manual for Healthcare Professionals [On-line information]. Available online at http://www.merck.com/mmpe/sec12/ch157/ch157d.html through http://www.merck.com. Accessed August 2009.

Lewis, J. (Revised 2008 July) Respiratory Acidosis. Merck Manual for Healthcare Professionals [On-line information]. Available online at http://www.merck.com/mmpe/sec12/ch157/ch157e.html through http://www.merck.com. Accessed August 2009.

Lewis, J. (Revised 2008 July) Respiratory Alkalosis. Merck Manual for Healthcare Professionals [On-line information]. Available online at http://www.merck.com/mmpe/sec12/ch157/ch157f.html through http://www.merck.com. Accessed August 2009.

Gunnerson, K. and Sharma, S. (Updated 2009 July 22) Lactic Acidosis. eMedicine [On-line information]. Available online at http://emedicine.medscape.com/article/167027-overview through http://emedicine.medscape.com. Accessed August 2009.

Hipp, A. and Sinert, R. (Updated 2008 September 11) Metabolic Acidosis. eMedicine [On-line information]. Available online at http://emedicine.medscape.com/article/768268-overview through http://emedicine.medscape.com. Accessed August 2009.

Yaseen, S. and Thomas, C. (Updated 2009 August 18). Metabolic Alkalosis. eMedicine [On-line information]. Available online at http://emedicine.medscape.com/article/243160-overview through http://emedicine.medscape.com. Accessed August 2009.

Fontes usadas em revisões anteriores

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber's Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby's Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

Kellum, J. and Puyana, J. (2006 January). Acid-Base Disorders, Section 8 Chapter 8. ACS Surgery from WebMD professional library [On-line information]. Available online at http://www.acssurgery.com/acsonline/Chapters/CH0808.htm through http://www.acssurgery.com.

(© 1995-2006). Acid-Base Metabolism. Merck Manual of Diagnosis and Therapy [On-line information]. Available online through http://www.merck.com.

(2001). Nelson, R. Acid-Base Disorders. University of Utah Medical Student Web Site [On-line information]. Available online at http://umed.med.utah.edu/ms2/renal/Word%20files/i)%20Acid_Base%20Disorders.htm through http://umed.med.utah.edu.

(2003 February 1, Revised). Acid-Base Balance. Merck Manual Home Edition [On-line information]. Available online at http://www.merck.com/mmhe/sec12/ch159/ch159a.html through http://www.merck.com.

Raghuveer, T. et. al. (2006 June 1). Inborn Errors of Metabolism in Infancy and Early Childhood: An Update. American Family Physician v73(11) [On-line journal]. Available online at http://www.aafp.org/afp/20060601/1981.html through http://www.aafp.org.