Also Known As
Pressão alta
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
20 de Setembro de 2017.

O que é?


Hipertensão arterial, também chamada pressão alta, é uma elevação persistente da pressão arterial (força que o sangue exerce sobre as paredes das atérias), que sobrecarrega o coração e pode, com o tempo, causar lesões em órgãos como rins, cérebro, olhos e coração. Ela depende da força da contração cardíaca, que bombeia o sangue oxigenado do ventrículo esquerdo do coração através das artérias para o resto do corpo, e da resistência ao fluxo. Esta depende da elasticidade e do grau de contração das artérias periféricas.

A pressão arterial varia dependendo do nível de atividade e de tensão física e emocional. É controlada em grande parte pelo sistema nervoso autônomo e por alguns hormônios, incluindo:

  • Angiotensina II – Produzida nos rins, aumenta a resistência vascular periférica.
  • Aldosterona – Produzida pelas glândulas suprarrenais em resposta à angiotensina II, afeta as quantidades de sódio, potássio e água excretados pelos rins.
  • Catecolaminas – Como a adrenalina, são produzidas pelas glândulas suprarrenais em resposta a estresse, aumentam a frequência cardíaca e a resistência vascular periférica.

A hipertensão arterial ocorre quando um ou mais fatores de regulação não reage de modo adequado.

Na medida da pressão arterial são feitas duas anotações: sistólica (pressão máxima exercida quando o coração se contrai) e diastólica  (pressão mínima durante o relaxamento do coração entre dois batimentos). As duas são medidas em milímetros de mercúrio (mm Hg). Por exemplo, uma pressão arterial de 120/80 mm Hg corresponde a uma pressão sistólica de 120 mm Hg e a uma pressão diastólica de 80 mm Hg, e é relatada como 120 por 80. Os níveis de pressão arterial são classificados pelo National Heart, Lung and Blood Institute (NHLBI), dos EUA, como visto na tabela em seu site.

Em geral, aumentos da pressão sistólica são acompanhados por elevações da pressão diastólica. Em idosos, há uma tendência a aumentar a pressão sistólica com manutenção da pressão diastólica normal, chamado hipertensão sistólica isolada. Quanto maiores são os períodos de hipertensão arterial, maior é a probabilidade de lesões.

Sinais e sintomas


Na maioria das pessoas, a hipertensão arterial raramente causa sinais e sintomas. Muitas não sabem que são hipertensas até que ela seja detectada em um exame de rotina. Quando os níveis estão muito altos, podem causar sintomas como cefaleia, tonturas e sangramentos nasais. Por isso, é importante verificar regularmente a pressão arterial.

Causas


Na maioria dos casos, a hipertensão arterial é idiopática, quando é chamada hipertensão essencial ou hipertensão primária. Pode afetar qualquer pessoa, mas sua incidência aumenta com a idade e é maior em descendentes de africanos. O National Heart, Lung, and Blood Institute avalia que uma em três pessoas nos EUA apresenta pressão arterial elevada, mas apenas um terço dessas tem a doença diagnosticada.

Na maioria dos casos, a hipertensão não causa sintomas até o início das lesões de órgãos. Por isso, é chamada de “assassino silencioso”. Aumenta lentamente o risco de acidente vascular cerebral, doença cardíaca, infarto do miocárdio, lesão renal e cegueira. Como é uma doença comum e silenciosa, a pressão arterial costuma ser medida em todas as consultas médicas.

Embora em geral não seja possível identificar uma causa, são conhecidos alguns fatores que aumentam o risco de desenvolver hipertensão arterial ou piorar uma hipertensão presente. Eles incluem:

  • Obesidade
  • Estilo de vida sedentário
  • Fumo
  • Uso excessivo de álcool
  • Ingestão excessiva de sódio
  • Uso de anticoncepcionais orais
  • Uso de medicamentos, como esteroides, e de drogas, como cocaína e anfetaminas

A hipertensão arterial também pode ser provocada por uma doença ou estado identificável, quando é chamada hipertensão secundária. É importante identificar essas causas porque, com frequência, elas podem ser resolvidas ou controladas, corrigindo a hipertensão. As causas incluem:

  • Doença ou lesão renal – Com acúmulo de sódio e água no corpo, aumentando o volume sanguíneo e a pressão arterial. Como a hipertensão arterial pode causar lesão renal, esse problema pode ser progressivo se não for tratado.
  • Diabetes – Possibilidade de provocar lesão renal e das artérias.
  • Arteriosclerose – Endurecimento das artérias que limita sua capacidade de dilatação e constrição.
  • Síndrome de Cushing – Distúrbio em que há aumento da produção de cortisol pelas glândulas suprarrenais.
  • Hiperaldosteronismo (síndrome de Conn) – Produção excessiva de aldosterona, com retenção de sódio e de água pelos rins, que aumenta o volume de sangue e a hipertensão arterial. Pode ser resultado de tumores das glândulas suprarrenais, em geral benignos.
  • Feocromocitoma – Tumor das glândulas suprarrenais que produz quantidades excessivas de adrenalina e noradrenalina, hormônios secretados normalmente em situações de estresse. É possível que os pacientes apresentem episódios de hipertensão arterial grave.
  • Doenças de tireoide – Excesso ou deficiência de hormônios da tireoide podem causar aumento da pressão arterial.
  • Gravidez – Existe a possibilidade da hipertensão arterial se desenvolver em qualquer momento da gravidez, mas é mais frequente no último trimestre, quando faz parte do quadro de pré-eclampsia, um estado caracterizado por aumento da pressão arterial e retenção de líquidos.

Exames


Os exames têm o objetivo de identificar a hipertensão arterial, confirmar sua persistência, determinar se ela é causada por algum problema clínico que possa ser resolvido ou controlado, e avaliar o estado dos órgãos do corpo, obtendo valores basais para monitorar o tratamento.

Exames laboratoriais
Exames laboratoriais não diagnosticam hipertensão arterial, mas são realizados geralmente para detectar ou excluir problemas que possam estar causando ou exacerbando a hipertensão e para avaliar as funções de órgãos.

Exames gerais incluem:

  • Urinálise - Para avaliar a função renal.
  • Hematócrito – Pedido como parte do hemograma para avaliar a proporção entre células e líquido (plasma) no sangue.
  • Ureia e/ou Creatinina – Para detectar e monitorar disfunção renal e acompanhar o efeito de medicamentos sobre os rins.
  • Potássio – Pedido junto com outros eletrólitos para avaliar o equilíbrio eletrolítico. Alguns medicamentos usados no tratamento da hipertensão arterial provocam perda renal excessiva de sódio e de potássio.
  • Glicose em jejum – Como triagem para diabetes.
  • Cálcio – Atividade excessiva das glândulas paratireoides pode causar aumento dos níveis de cálcio e hipertensão arterial.
  • TSH (hormônio estimulante da tireoide) e T4 – Para detectar e monitorar disfunção da glândula tireoide.
  • Lipidograma – Para avaliar os níveis de colesterol total, colesterol HDL, colesterol LDL e triglicerídeos.

São realizados outros exames com base na história clínica, no exame físico e nos exames laboratoriais de rotina para detectar e monitorar causas de hipertensão secundária. Incluem:

Exames não laboratoriais
Medida da pressão arterial
Embora possa ser avaliada usando uma variedade de dispositivos eletrônicos, a medida tradicional e precisa é feita com um estetoscópio e um esfigmomanômetro, que inclui um manguito, uma bomba ou pêra manual e um mostrador de pressão calibrado em milímetros de mercúrio (mm Hg). Detalhes desse procedimento estão em “How is High Blood Pressure Diagnosed?” (em inglês), no site do the National Heart, Lung and Blood Institute (NHLBI), dos EUA..

O médico pode indicar um monitor que mede a pressão arterial em intervalos, para excluir aumentos ocasionais da pressão que ocorrem apenas no consultório.

Raramente é necessário fazer uma medida direta da pressão arterial inserindo um cateter na artéria.

Existem outros procedimentos para auxiliar o processo diagnóstico e avaliar o estado de órgãos, como:

  • Eletrocardiograma – Para avaliar a frequência, o ritmo de lesões do coração
  • Fundo de olho – Para verificar alterações nas artérias da retina
  • Exames de imagem, como radiografias de tórax e ultrassonografia renal

Tratamentos


Mudanças de estilo de vida ajudam a diminuir o risco de hipertensão arterial. Em muitos pacientes com hipertensão leve, o único tratamento necessário pode ser a manutenção do peso corporal, praticar exercícios regulares, limitar o uso de álcool e de sal e parar de fumar. Os riscos associados com sexo, raça e idade não diminuem com as mudanças do estilo de vida e, em muitos casos, o tratamento deve incluir medicamentos para controlar a hipertensão persistente. Há diversos grupos de remédios, com ações diferentes, usados no tratamento da hipertensão arterial. O médico escolhe os mais adequados para cada pessoa, incluindo as dosagens.

Na hipertensão secundária, se o problema que causa a hipertensão puder ser resolvido (como remoção de um tumor suprarrenal ou suspensão de um medicamento) ou controlado (como diabetes e doenças da tireoide), a pressão pode voltar ao normal. Quando isso não é possível, procura-se minimizar as consequências da doença e controlar a pressão arterial com medicamentos.

Hipertensão arterial assintomática acima de 180/110 mm Hg e formas graves de hipertensão maligna, em que a pressão ultrapassa 210/120 mm Hg, devem ser tratadas imediatamente e necessitar que o paciente seja hospitalizado para usar medicamentos intravenosos e ser monitorado.

Grávidas com pré-eclampsia precisam de repouso e monitoração frequente. A solução definitiva é o parto, que é adiado o máximo possível para dar ao feto mais tempo para amadurecer. Esse adiamento deve ser avaliado porque há risco de convulsões e lesões de órgãos maternos, que podem ser fatais para a mãe e para o feto.

Páginas relacionadas


Neste site
Estados clínicos/Doenças: doenças renais, diabetes, gravidez

Em outros sites da Internet
National Heart, Lung, and Blood Institute: Prevent and Control High Blood Pressure: Mission Possible
National Heart, Lung, and Blood Institute: Your Guide to Lowering High Blood Pressure
National Heart, Lung, and Blood Institute: The DASH Eating Plan
American Society of Hypertension
Seventh Report of the Joint National Committee on Prevention, Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure (JNC 7) Express
National Kidney Disease Education: Diabetes & High Blood Pressure, The two leading causes of kidney disease
National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse: High Blood Pressure and Kidney Disease
JAMA Patient Page: Hypertension

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

Fontes usadas na revisão atual

Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry, AACC Press, Washington, DC. Pp 418.

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition]. Pp 939-940.

(2008 April 30, Reviewed). Make the Kidney Connection, Diabetes & High Blood Pressure, The two leading causes of kidney disease. National Kidney Disease Education [On-line information]. Available online at http://www.nkdep.nih.gov/resources/make_the_kidney_connection.htm through http://www.nkdep.nih.gov. Accessed on 9/30/08.

(2008 July). High Blood Pressure and Kidney Disease. National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse [On-line information]. Available online at http://kidney.niddk.nih.gov/kudiseases/pubs/highblood/index.htm through http://kidney.niddk.nih.gov. Accessed on 9/30/08.

(2008 August). High Blood Pressure, What is it? National Heart Lung and Blood Institute [On-line information]. Available online at http://www.nhlbi.nih.gov/health/dci/Diseases/Hbp/HBP_WhatIs.html through http://www.nhlbi.nih.gov. Accessed on 10/02/08.

Stevens, L. (2008 June 25). Hypertension. JAMA Patient Page v299 (24). [On-line information]. PDF available for download at http://jama.ama-assn.org/cgi/reprint/299/24/2914.pdf through http://jama.ama-assn.org. Accessed on 10/02/08.

(2008 August 7). High blood pressure (hypertension). MayoClinic.com [On-line information]. Available online at http://www.mayoclinic.com/health/high-blood-pressure/DS00100 through http://www.mayoclinic.com. Accessed on 10/02/08.

Fontes usadas em revisões anteriores

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition].

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (2001). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 5th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO.

(1995-2005). High Blood Pressure. Merck Manual of Medical Information Second Home Edition Online [On-line information]. Available online at http://www.merck.com/mmhe/sec03/ch022/ch022a.html?qt=%22high%20blood%20pressure%22&alt=sh through http://www.merck.com.

(2003 December). Seventh Report of the Joint National Committee on Prevention, Detection, Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure (JNC 7) Express [pp xiii and 2-21 of 52 pages]. National High Blood Pressure Education Program [On-line information]. PDF available for download at http://www.nhlbi.nih.gov/guidelines/hypertension/express.pdf through http://www.nhlbi.nih.gov.

Ben-Joseph, E. & Gidding, S., Reviewed (2003 August, Reviewed). Hypertension (High Blood Pressure). TeensHealth, Nemours Foundation [On-line information]. Available online at http://kidshealth.org/teen/diseases_conditions/heart/hypertension.html through http://kidshealth.org.

What Are High Blood Pressure and Prehypertension? Your Guide to Lowering High Blood Pressure, NHLBI [On-line information]. Available online at http://www.nhlbi.nih.gov/hbp/hbp/whathbp.htm through http://www.nhlbi.nih.gov.

(2005 July 1, Updated). Diuretics Best First-step for High BP in Diabetics. MedlinePlus from Archives of Internal Medicine June 27 2005. [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/news/fullstory_25529.html through http://www.nlm.nih.gov. Note: Source will not be available after 7/20/05

(2004 August). What is High Blood Pressure? NHLBI [On-line information]. Available online at http://www.nhlbi.nih.gov/health/dci/Diseases/Hbp/HBP_WhatIs.html through http://www.nhlbi.nih.gov.

(2004 September, Updated). High Blood Pressure During Pregnancy. Familydoctor.org [On-line information]. Available online at http://familydoctor.org/695.xml through http://familydoctor.org.

(2004). Facts on High Blood Pressure. CDC, CVH Blood Pressure Fact Sheet [On-line information]. Available online at http://www.cdc.gov/cvh/library/fs_bloodpressure.htm through http://www.cdc.gov.

Bove, A., Reviewed (2000 December, Reviewed). Essential Guide to Hypertension: Accurate Blood Pressure Readings. Medem Medical Library, AMA [On-line information]. Available online at http://www.medem.com/medlb/article_detaillb.cfm?article_ID=ZZZVV6DWGLC&sub_cat=74 through http://www.medem.com.

Mayo Clinic Staff (2005 March 29). Secondary high blood pressure: When another disease or condition is to blame. MayoClinic.com [On-line information]. Available online at http://www.mayoclinic.com/invoke.cfm?id=HQ01345 through http://www.mayoclinic.com.

Grayson, C., Reviewed (2003 September). Understanding High Blood Pressure -- the Basics. WebMD [On-line information]. Available online at http://my.webmd.com/content/article/54/61467.htm through http://my.webmd.com.

(2005). About High Blood Pressure. American Heart Association [On-line information]. Available online at http://www.americanheart.org/presenter.jhtml?identifier=468 through http://www.americanheart.org.

(2005). Your High Blood Pressure Questions Answered - Pulmonary Hypertension. American Heart Association [On-line information]. Available online at http://www.americanheart.org/presenter.jhtml?identifier=3025172 through http://www.americanheart.org.

Kasper DL, Braunwald E, Fauci A, Hauser S, Longo D, Jameson JL. Harrison's Principles of Internal Medicine. McGraw-Hill Professional; 16 edition (July 23, 2004).