Nome formal
Análise do Líquido Pleural
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
15 de Janeiro de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para auxiliar no diagnóstico da causa de inflamação das pleuras (pleurite, pleurisia) e/ou acúmulo de líquido no espaço pleural (derrame pleural).

Quando fazer este exame?

Quando o médico suspeitar que o indivíduo com dor no peito, tosse e/ou dificuldade para respirar apresenta doença associada à pleurite e/ou derrame pleural.

Amostra:

Um volume de líquido pleural é coletado por um procedimento chamado de toracocentese.

É necessária alguma preparação?

Nenhum.

O que está sendo pesquisado?

O líquido pleural encontra-se na cavidade pleural, é lubrificante para o movimento de inspiração e expiração dos pulmões. É derivado do filtrado plasmático a partir de capilares sanguíneos nos pulmões. É encontrado em pequenas quantidades entre as camadas das pleuras – membranas que revestem a cavidade torácica e os pulmões.

Uma variedade de condições e doenças pode provocar inflamação das pleuras (pleurite) e/ou acúmulo excessivo de líquido pleural (derrame pleural). A análise do líquido pleural é um grupo de exames que avaliam esse líquido para determinar a causa de seu aumento.

As duas principais razões para acúmulo de líquido no espaço pleural são:

  • Um desequilíbrio entre a pressão do líquido no interior dos vasos sanguíneos (o que leva o líquido para fora dos vasos) e a quantidade de proteínas no sangue (o que mantém os líquidos nos vasos sanguíneos). Neste caso, o líquido acumulado é denominado transudado. Este tipo de líquido geralmente acomete ambos os pulmões e, frequentemente, é resultado de insuficiência cardíaca congestiva ou cirrose.
  • Uma lesão ou inflamação das pleuras. Neste caso, o líquido acumulado é denominado exsudato. Geralmente, acomete apenas um pulmão e pode ser observado em infecções (pneumonia, tuberculose, sarcoidose), neoplasias (câncer pulmonar, cânceres metastáticos, linfoma, mesotelioma) ou doença auto-imune.

A diferenciação entre os tipos de líquidos é importante, pois auxilia no diagnóstico de uma doença ou condição clínica específica. Médicos e laboratórios utilizam um conjunto inicial de exames (contagem celular, proteína, albumina ou nível de lactato e aspecto do líquido) para diferenciar entre transudados e exsudados. Uma vez que se determina entre um ou outro, exames adicionais podem ser realizados para identificar a doença ou estado clínico responsável por pleurite e/ou derrame.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de líquido pleural é colhida, usando um procedimento denominado toracocentese.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exame, Conselhos sobre exames de sangue, Conselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Não é necessário preparo para o exame.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    A análise do líquido pleural é usada para diagnosticar a causa de inflamação na pleura (pleurite) e/ou acúmulo de líquido no espaço pleural (derrame pleural). Existem duas razões principais para o acúmulo de líquido e um conjunto inicial de exames (proteínas do líquido, nível de albumina ou lactato, contagem celular e aspecto) é realizado para diferenciar entre os dois tipos de líquido que podem ser produzidos.

    • Um desequilíbrio entre a pressão do líquido no interior dos vasos sanguíneos (o que leva o líquido para fora dos vasos sanguíneos) e a quantidade de proteínas no sangue (o que mantém os líquidos nos vasos sanguíneos) pode resultar em acúmulo do líquido (denominado transudado). Os transudados, frequentemente, são provocados por insuficiência cardíaca congestiva ou cirrose. Se for determinado que é transudado, normalmente, não são necessários outros exames no líquido.
    • Uma lesão ou inflamação das pleuras pode causar acúmulo anormal de líquido (denominado exsudado). Se for exsudado, são realizados exames adicionais. Os exsudados estão associados a uma variedade de doenças ou estados clínicas, entre elas:

    Exames adicionais no líquido pleural do tipo exsudado podem incluir:

    Exame microscópico – O líquido pleural normal apresenta pequeno número de leucócitos e nenhuma hemácia ou micro-organismos. Uma amostra citocentrifugada é tratada com uma coloração especial e examinada com o auxílio do microscópio para realizar contagem dos diferentes tipos celulares que podem estar presentes.

  • Quando o exame é pedido?

    A análise do líquido pleural pode ser solicitada quando o médico suspeitar que o indivíduo apresenta uma doença ou condição clínica que seja a causa da pleurite e/ou derrame pleural. Pode ser feita quando o indivíduo apresentar alguns dos seguintes sinais e sintomas:

    • Dor no peito que piora com a respiração profunda
    • Tosse
    • Dificuldade de respirar, falta de ar
    • Febre, calafrios
    • Fadiga
  • O que significa o resultado do exame?

    Os resultados podem ajudar a diferenciar entre os tipos de líquido pleural e auxiliar no diagnóstico da causa do seu acúmulo. O conjunto inicial de exames realizado na amostra do líquido pleural ajuda a determinar se é um transudado ou exsudado:

    Transudado

    Transudados são quase sempre provocados por insuficiência cardíaca congestiva ou cirrose. Os aspectos típicos da análise do líquido incluem:

    • Características físicas — Líquido transparente
    • Nível de proteínas, albumina ou lactato — Baixo
    • Contagem de células — Poucas células estão presentes

    Exsudado

    Exudados podem ser causados por uma variedade de doenças ou condições clínicas. Os resultados dos exames iniciais podem incluir:

    • Características físicas — Líquido turvo
    • Nível de proteínas, albumina ou lactato — Elevado
    • Contagem de células — Aumentada

    Resultados de exames adicionais e suas causas associadas podem incluir:

    Características físicas – A aparência normal de uma amostra de líquido pleural é, geralmente, amarelo claro transparente. Resultados anormais fornecem pistas da doença presente e podem incluir:

    • Aparência leitosa pode indicar envolvimento do sistema linfático.
    • Líquido pleural avermelhado pode indicar presença de sangue.
    • Líquido pleural turvo, espesso, pode indicar a presença de micro-organismos e/ou leucócitos.

    Exames químicos – Podem ser realizados adicionalmente às proteínas ou albumina e incluem:

    • Glicose — Normalmente, os mesmos níveis que a glicose do sangue. Podem apresentar-se diminuídas em infecções e artrite reumatoide.
    • Níveis de lactato podem aumentar na pleurite infecciosa, seja bacteriana ou na tuberculose.
    • Níveis de amilase podem aumentar na pancreatite, ruptura de esôfago ou em neoplasias (cânceres).
    • Níveis de triglicérides podem estar aumentados no envolvimento do sistema linfático.
    • Marcadores tumorais podem estar presentes em alguns cânceres.

    Exame microscópico – O líquido pleural normal tem um pequeno número de leucócitos e nenhuma hemácia ou micro-organismo. Os resultados da avaliação de diferentes tipos de células presentes podem incluir:

    • Contagem total de células — Os leucócitos e as hemácias da amostra são contados. Aumento de leucócitos é observado em infecções e em outras causas de pleurite. Aumento de hemácias pode ser sugestivo de trauma, malignidade ou infarto pulmonar.
    • Contagem diferencial de leucócitos — Determina a porcentagem dos diferentes tipos de leucócitos. Um número aumentado de neutrófilos pode se observado em infecções bacterianas. Um número aumentado de linfócitos pode ser observado em cânceres e tuberculose.
    • Citologia – Uma amostra citocentrifugada é tratada com uma coloração especial e examinada sob o microscópio para células anormais. Isto, geralmente, é realizado quando há suspeita de mesotelioma ou câncer metastático. A presença de certas células anormais, como células tumorais ou células sanguíneas imaturas pode indicar um tipo de câncer.

    Exame para doença infecciosa – Podem ser realizados para pesquisa de micro-organismos, se houver suspeita de infecção:

    • Coloração Gram – Para observação direta sob o microscópio de bactérias ou fungos. Não deve haver organismos presentes no líquido pleural.
    • Cultura de líquido sinovial e teste de sensibilidade – Se bactérias estiverem presentes, o exame de sensibilidade pode ser útil para guiar a antibioticoterapia. A ausência de micro-organismos não descarta infecção. Eles podem estar presentes em pequena quantidade ou o crescimento estar inibido devido à antibioticoterapia anterior.

    Em situações menos frequentes, se outros exames para doenças infecciosas forem positivos, então a causa do acúmulo de líquido pericárdico pode ser devido à infecção viral, micobactéria (como as que causam tuberculose) ou parasita.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Podem ser solicitadas dosagens de glicemia, proteínas ou albumina para comparar as concentrações com as do pleural.

  • O que é toracocentese e como é realizada?

    A toracocentese é a remoção do líquido pleural da cavidade pleural com uma agulha e seringa. O indivíduo é posicionado sentado, com os braços levantados e apoiados. É aplicado anestésico local, o médico insere a agulha dentro da cavidade pleural e a amostra é retirada.

  • Existem outras razões para fazer toracocentese?

    Sim. Por vezes, pode ser realizada para remoção de excesso de líquido pleural para aliviar a pressão nos pulmões. Um cateter é usado para drenar maiores quantidades de líquido e acúmulos recorrentes.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.

 

Pagana, Kathleen D. & Pagana, Timothy J. (© 2007). Mosby’s Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp 904-909.

Wu, A. (2006).  Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, Fourth Edition.  Saunders Elsevier, St. Louis, Missouri. Pp 868-869, 1535-1536.

Thomas, Clayton L., Editor (1997). Taber’s Cyclopedic Medical Dictionary. F.A. Davis Company, Philadelphia, PA [18th Edition]. pp 1496.

Forbes, B. et. al. (© 2007). Bailey & Scott’s Diagnostic Microbiology, Twelfth Edition: Mosby Elsevier Press, St. Louis, Missouri. Pp 904 – 913.

Schriber, A. (2007 November 12). Pleural fluid analysis. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003624.htm. Accessed on 6/21/08.

Kaufman, D. (2006 August 7, Updated). Thoracentesis. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003420.htm. Accessed on 6/21/08.

Kaufman, D. (2006 August 7, Updated). Pleural effusion. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000086.htm. Accessed on 6/21/08.

Kaufman, D. (2006 May 3, Updated). Pulmonary actinomycosis. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000074.htm. Accessed on 6/21/08.

Garlipp, C. et. al. (2008 January 18). Pleural Effusions: Stability of Samples for White Blood Cell and Differential Counts. Medscape from Laboratory Medicine [On-line information]. Available online at http://www.medscape.com/viewarticle/568386 through http://www.medscape.com. Accessed on 6/21/08.

Lababede, O. (2007 August 10). Effusion, Pleural. eMedicine [On-line information]. Available online at http://www.emedicine.com/radio/TOPIC233.HTM through http://www.emedicine.com. Accessed on 6/21/08.

(2007 August). What Are Pleurisy and Other Disorders of the Pleura?. NHLBI [On-line information]. Available online at http://www.nhlbi.nih.gov/health/dci/Diseases/pleurisy/pleurisy_whatare.html through http://www.nhlbi.nih.gov. Accessed on 6/28/08.

Knight JA, Kjeldsberg CR: Cerebrospinal, synovial, and serous body fluids. In Henry’s Clinical Diagnosis and Laboratory Management by Laboratory Methods, 21sted. MCpHerson RA & Pincus MR, eds.  Saunders:New York, pp 426-454, 2006.