Também conhecido como
Capacidade total de transporte de ferro
Siderofilina
Nome formal
Capacidade total de ligação do ferro e capacidade não saturada de ligação do ferro, transferrina; Saturação da transferrina
Este artigo foi revisto pela última vez em
Este artigo foi modificado pela última vez em
15 de Janeiro de 2018.
De relance
Por que fazer este exame?

Para avaliar a capacidade do sangue de transportar ferro.

Quando fazer este exame?

Quando o médico suspeita de carência ou de excesso de ferro no corpo; para monitorar a função hepática e a nutrição.

Amostra:

Uma amostra de sangue obtida de uma veia do braço.

É necessária alguma preparação?

Podem ser necessárias 12 horas de jejum antes da colheita; nesse caso, apenas a ingestão de água é permitida.

O que está sendo pesquisado?

A transferrina é a principal proteína que se liga ao ferro no sangue e o transporta por todo o corpo. A quantidade de transferrina disponível para transportar o ferro reflete-se nas medidas da capacidade total de transporte desse metal, da capacidade não saturada de transporte e na saturação da transferrina.

O ferro é absorvido dos alimentos e transportado por todo o corpo pela transferrina, que é produzida no fígado. Cerca de 70% do metal absorvido é transportado para a medula óssea e incorporado à hemoglobina nas hemácias. O resto é armazenado nos tecidos como ferritina e como hemossiderina. A quantidade de transferrina no sangue depende da função hepática e do estado nutricional da pessoa. Em condições normais, cerca de 1/3 dos locais de ligação da transferrina estão saturados com ferro. Isso significa que 2/3 da capacidade de ligação permanecem vazios.

Os exames transferrina, capacidade total de ligação do ferro, capacidade não saturada de ligação do ferro e saturação da transferrina medem essencialmente a mesma coisa. Eles avaliam a capacidade do sangue de transportar esse metal e estão relacionados com suas reservas.

  • A capacidade total de transporte de ferro mede a quantidade total de ferro que pode ser ligado às proteínas do sangue. Como a transferrina é a principal proteína transportadora do metal, esse exame é uma boa medida indireta da quantidade disponível de transferrina.
  • A capacidade não saturada de transporte de ferro determina a capacidade de reserva da transferrina, ou seja, a quantidade de transferrina não saturada com ferro. Pode ser medida diretamente ou calculada subtraindo o resultado da dosagem de ferro da capacidade total de transporte.
  • A dosagem de ferro mede a quantidade total de ferro no sangue, quase todo ligado à transferrina. É necessária para calcular a capacidade não saturada de transporte de ferro e a saturação da transferrina.
  • A saturação da transferrina é calculada usando os resultados do ferro e da capacidade total de transporte, e representa a percentagem da transferrina saturada com ferro.

Como a amostra é obtida para o exame?

Uma amostra de sangue colhida com uma agulha de uma veia do braço.

NOTA: Se exames médicos em você ou em alguém importante para você o deixam ansioso ou constrangido, ou se você tem dificuldade de lidar com eles, leia um ou mais dos seguintes artigos: Lidando com dor, desconforto ou ansiedade durante o exameConselhos sobre exames de sangueConselhos para ajudar crianças durante exames médicos, e Conselhos para ajudar idosos durante exames médicos.

Outro artigo, Siga essa amostra, fornece uma visão da coleta e do processamento de uma amostra de sangue e de uma amostra de cultura da garganta.

É necessário algum preparo para garantir a qualidade da amostra?

Pode ser necessário jejum de 12 horas antes da colheita. Nesse caso, só é permitida a ingestão de água. É preferida uma amostra colhida de manhã.

Accordion Title
Perguntas frequentes
  • Como o exame é usado?

    A capacidade total de transporte de ferro é pedida com maior frequência junto com a dosagem de ferro, para avaliar pessoas com suspeita de deficiência ou de sobrecarga desse metal. Os dois exames são usados para calcular a saturação da transferrina, um indicador mais útil que o ferro e a capacidade total de transporte de ferro isolados. Em pessoas saudáveis, cerca de 20% a 40% da transferrina são usados para transportar o ferro.

    Na deficiência de ferro, seu nível está baixo e a capacidade total de transporte do metal está aumentada, o que resulta em níveis muito baixos de saturação da transferrina. Em estados de sobrecarga de ferro, como a hemocromatose, o nível está alto e a capacidade total de transporte do metal está normal ou baixa, o que aumenta a saturação da transferrina. A capacidade não saturada de transporte de ferro pode ser pedida como uma alternativa à capacidade total de transporte de ferro, mas isso não é comum no Brasil.

    É costume medir a transferrina (em vez da capacidade de transporte total de ferro ou a capacidade não saturada de transporte de ferro) quando se avalia o estado nutricional ou a função hepática de um paciente. Como é produzida no fígado, a transferrina está baixa quando há doença hepática. Como os níveis de transferrina também diminuem quando não há proteínas suficientes na dieta, o exame pode ser usado para monitorar a nutrição.

  • Quando o exame é pedido?

    A capacidade total de transporte de ferro ou a capacidade não saturada de transporte de ferro podem ser pedidas junto com a dosagem de ferro quando há suspeita de deficiência ou de sobrecarga desse metal. Esses exames podem ser feitos quando existem sinais de anemia, especialmente quando as hemácias são microcíticas e hipocrômicas, e a hemoglobina e o hematócrito estão baixos.

    Os sintomas mais comuns de anemia incluem:

    • Fadiga crônica
    • Tonteiras
    • Fraqueza
    • Cefaleia

    Quando o médico suspeita que uma pessoa pode estar com sobrecarga de ferro ou quando há uma história familiar de hemocromatose, o ferro e a capacidade total de transporte de ferro podem ser pedidos com a ferritina para ver se há um excesso do metal no sangue e se as suas reservas estão aumentadas. Os sintomas de sobrecarga de ferro variam entre as pessoas e tendem a piorar com o tempo. São devidos ao acúmulo do metal no sangue e nos tecidos, e podem incluir:

    • Dores articulares
    • Fadiga, fraqueza
    • Falta de energia
    • Dor abdominal
    • Diminuição da libido
    • Problemas cardíacos

    Entretanto, muitas pessoas não têm sintomas no início da sobrecarga.

    O ferro e a capacidade total de transporte de ferro podem ser pedidos em casos suspeitos de envenenamento por esse metal, que é mais comum em crianças que ingerem acidentalmente vitaminas e suplementos contendo ferro.

    A transferrina pode ser pedida com outros exames, como pré-albumina, para avaliar ou monitorar o estado nutricional de uma pessoa.

  • O que significa o resultado do exame?

    Os resultados de transferrina, capacidade total de transporte de ferro ou capacidade não saturada de transporte de ferro são avaliados com outros exames do ferro. Um resumo das alterações desses exames em diversas doenças é mostrado na tabela abaixo.

     

    Doença Ferro Capacidade total de ligação do ferro Capacidade não saturada de ligação do ferro

    Saturação da transferrina

    Ferritina
    Deficiência de ferro Baixo Alta Alta Baixa Baixa
    Hemocromatose Alto Baixa Baixa Alta Alta
    Doenças crônicas Baixo Baixa Baixa ou normal Baixa Normal ou alta
    Anemias hemolíticas Alto Normal ou baixa Baixa ou normal Alta Alta
    Anemia sideroblástica Normal ou alto Normal ou baixa Baixa ou normal Alta Alta
    Envenenamento por ferro Alto Normal Baixa Alta Normal

    Uma capacidade total de transporte de ferro, capacidade não saturada de transporte de ferro ou transferrina alta em geral indicam deficiência de ferro, mas podem estar elevadas também na gravidez ou com o uso de anticoncepcionais orais. Por outro lado, valores baixos podem ocorrer com hemocromatose, alguns tipos de anemia em que há acúmulo de ferro, desnutrição, inflamação, doença hepática ou síndrome nefrótica, uma doença renal em que há perda de proteínas na urina.

    A saturação da transferrina está diminuída na deficiência de ferro e aumentada quando há excesso, como na sobrecarga de ferro e no envenenamento por esse metal.

  • Há mais alguma coisa que eu devo saber?

    Pessoas com anemias hemolíticas podem ter concentrações aumentadas de ferro no sangue por causa de liberação de hemoglobina das hemácias destruídas.

    Transfusões de sangue recentes podem afetar o resultados dos exames. Transfusões múltiplas podem causar sobrecarga de ferro.

  • Além da deficiência de ferro, há outras causas de anemia?

    Sim, existem muitas causas de anemia. Entretanto, a deficiência de ferro é a mais comum, e essa é a razão porque os exames do ferro são feitos com tanta frequência. Se esses exames excluem deficiência de ferro, devem ser investigadas outras causas. Leia mais no artigo sobre anemias.

  • Como é calculada a saturação da transferrina?

    O cálculo é:

    Saturação da transferrina (%) = (ferro no sangue × 100) ÷ capacidade total de transporte de ferro

  • Que outros fatores afetam o nível de transferrina?

    A transferrina pode diminuir com qualquer processo inflamatório. Por isso, é chamada uma proteína de fase aguda negativa. Inflamações crônicas, infecções e alguns tipos de câncer podem alterar os níveis de transferrina.

Fontes do artigo

NOTA: Este artigo se baseia em pesquisas que incluíram as fontes citadas e a experiência coletiva de Lab Tests Online Conselho de Revisão Editorial. Este artigo é submetido a revisões periódicas do Conselho Editorial, e pode ser atualizado como resultado dessas revisões. Novas fontes citadas serão adicionadas à lista e distinguidas das fontes originais usadas.                                        

 

Fontes usadas na revisão atual

Pagana, K. D. & Pagana, T. J. (© 2007). Mosby's Diagnostic and Laboratory Test Reference 8th Edition: Mosby, Inc., Saint Louis, MO. Pp 574-577.

Clarke, W. and Dufour, D. R., Editors (© 2006). Contemporary Practice in Clinical Chemistry: AACC Press, Washington, DC. Pp 43, 200-201.

Wu, A. (© 2006). Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests, 4th Edition: Saunders Elsevier, St. Louis, MO. Pp 1062-1065.

Dugdale III, D. (Updated 2009 February 13). Total Iron Binding Capacity. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/003489.htm. Accessed June 2009.

(Modified 2009 March 13). About Iron. Iron Disorders Institute [On-line information]. Available online at http://www.irondisorders.org/Disorders/about.asp through http://www.irondisorders.org. Accessed June 2009.

(Updated 2007 August 24). Dietary Supplement Fact Sheet: Iron. NIH Office of Dietary Supplements [On-line information]. Available online at http://ods.od.nih.gov/factsheets/iron.asp through http://ods.od.nih.gov. Accessed June 2009.

Rathz, D. et. al. (Updated 2009 February 02). Toxicity, Iron. eMedicine [On-line information]. Available online at http://emedicine.medscape.com/article/166933-overview through http://emedicine.medscape.com. Accessed June 2009.

Chen, Y. (Updated 2009 April 05). Iron Deficiency Anemia. MedlinePlus Medical Encyclopedia [On-line information]. Available online at http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/article/000584.htm. Accessed June 2009.

Henry's Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods. 21st ed. McPherson RA and Pincus MR, eds. Philadelphia: 2007, Pg 506.

Fontes usadas em revisões anteriores

Corbett, JV. Laboratory Tests & Diagnostic Procedures with Nursing Diagnoses, 4th ed. Stamford, Conn.: Appleton & Lang, 1996. Pp. 34-35, 41-43.

Frey, Rebecca J. Iron Tests. Chapter in: Gale Encyclopedia of Medicine, Edition One, 1999 Gale Research Group, Pg. 1648.

Witte DL, Crosby WH, Edwards CQ, Fairbanks VG, Mitros FA. Practice guideline development task force of the College of American Pathologists.

Boston University Medical Center. Community Outreach Health Information System. Available online at http://www.bu.edu/cohis/cardvasc/blood/anemia.htm#prevent through http://www.bu.edu.

Lyon, Elaine and Frank, Elizabeth L. Hereditary Hemochromatosis Since Discovery of the HFE Gene. Clinical Chemistry 47:1147-1156 (Jul 2001).